Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 21 de septembro de 2017

A família do ferido num acidente mortal nega que seu carro adiantasse

Assegura que a carrinha invadiu o faixa de rodagem do {Audi} {A3}

REDACCIÓN BADAJOZ
29/08/2017

 

A família do jovem italiano que resultou ferido grave no acidente de viação acontecido na quinta-feira passado na N-430, à altura de Casas de Dom Pedro, assegurou a este diário/jornal que, segundo a informação que lhe tem transmitido a Guardia Civil de Tráfico, em Mérida, a colisão não se produziu por uma ultrapassagem do {Audi} {A3} no qual viajava o ferido e cujo condutor faleceu pelo impacto. Massimo Navatta, irmão do ferido, grave manifestou que segundo a Guardia Civil, o {Audi} circulava detrás de um {trailer}. A carrinha que se viu implicada na colisão se aproximava em sentido contrário, se desviou de seu faixa de rodagem e tocou {lateralmente} ao {trailer} de forma que se passou ao faixa de rodagem contrário e o {Audi} se a encontrou de frente. «Não puderam evitar o impacto porque nem a viram quando lhes caiu em cima», contou o irmão do ferido, que viajava como copiloto. O condutor, Javier Sánchez Lete, era natural de Navarra e trabalhava como diretor comercial para Espanha de Navatta {Group}, do qual Massimo Navatta é administrador delegado. A perguntas deste diário/jornal, a Guardia Civil remeteu ao tribunal/réu/julgado.

O ferido continuava ontem ingressado na {UCI} do hospital de Don Benito e tem experimentado uma melhoria. Seu irmão quereria localizar ao médico que circulava detrás do {Audi} para agradecer que lhe {salvara} a vida porque o atendeu antes de que chegassem as equipas sanitárias.

As notícias mais...