Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 19 de septembro de 2018

O escritório de Gestão Urbanística de {Tentudía} já está a funcionar

Trabalhará na elaboração do Plano Territorial e diferentes planos gerais. O serviço se financia quase na sua totalidade através da Junta

RAFA MOLINA
07/01/2018

 

L a diretora-geral de Urbanismo e Ordenamento do Território, {Eulalia} {Moreno}, acompanhada pela presidenta e o gerente da Mancomunidad (conjunto de municípios) de {Tentudía}, Mercedes Díaz e Jesús Aparicio, respetivamente, inaugurou a novo Escritório de Gestão Urbanística da Mancomunidad (conjunto de municípios) de {Tentudía}, localizada nas instalações do Centro Integral de Desenvolvimento, sede desta associação.

{Moreno} qualificou de «excelente notícia» para as Câmaras Municipais da região a posta em funcionamento destas dependências de «tradição histórica» que agora se reabrem graças às políticas de «reativação de serviços» com os que chegar a todos os municípios.

La diretora-geral destacou a importância deste serviço diante da cada vez «mais complicada legislação urbanística», bem como pelos «escassos meios técnicos e jurídicos dalguns câmaras municipais». Nomeadamente, na região de {Tentudía}, o escritório trabalhará na elaboração de seu Plano Territorial, bem como diferentes Planos Gerais, «imprescindíveis para o desenvolvimento económico de qualquer município». Além disso, supõe a «descentralização» para a gestão de serviços, que até agora tinha que realizar diretamente na conselheria.

Desde a administração regional consideram este tipo de escritórios como «imprescindíveis», pelo qual, a conselheria está disposta «a ir aumentando o orçamento» destinado a estas delegações, bem como a fechar a rede para que possa chegar a todas as regiões extremenhas. Neste sentido, a diretora-geral explicou que neste ano, através de um convénio com a Diputación de Badajoz, estes escritórios chegarão aos municípios da província que ainda não estão cobertos, como os de Terra de Lamas ou Vegas Altas.

O escritório, que conta com arquiteto, arquiteto treinador e assessor jurídico, se financia quase integramente com um subsídio da Junta. La mancomunidad (conjunto de municípios), através dos Câmara Municipal, dá uma quantidade/quantia «mínima» de mil euros anuais por povo/vila.

As notícias mais...