Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 8 de dezembro de 2019

Zidane lhe mostra a porta de saída a {Bale}: «Se vai-se amanhã, melhor para todos»

O treinador não contou com o galês para o jogo/partido perante o {Bayern} (derrota 3-1)

AGENCIAS HOUSTON
22/07/2019

 

O treinador do Madrid, com seu habitual tom tranquilo, falou claro do qual é se calhar o principal problema do clube: a saída da equipa do galês {Gareth} {Bale}. «Não foi convocado porque o clube está tratando sua saída. Se vai-se embora amanhã, melhor para todos», disse Zidane após perder o primeiro amistosos/jogo particular de pré-época, 3.1 perante o {Bayern} de {Múnich}.

Era um secreto a vozes, mas a franqueza medida de Zidane tem terminado de expor o conflito aberto que vive o Madrid ao completo com um {Bale} sentenciado pela bancada do Bernabéu, repudiado pelo treinador e extremadamente desvalorizado.

Até agora, o galês não tinha mostrado o mais mínimo interesse/juro por abandonar o Madrid, ainda a risco de frequentar outra época o banco e ainda que sua corrida/curso, com 30 anos recém cumpridos, se assome a um ocaso dececionante. O único que toma a palavra é seu agente, {Jonathan} {Barnett}, quase sempre com pouco/bocado medida certa: «Zidane é vergonhoso, não mostra nenhum respeito por um jogador que fez tanto/golo pelo Real Madrid», respondeu {Barnett} ao treinador branco em {AFP}. «Pelo bem de todos, estamos trabalhando em sua saída», acrescentou depois.

Apesar do caos, as mensagens da diretiva branca vão na direção de não {malvender} a ninguém, menos ainda a uma peça de peso da plantel/quadro, embora o repto/objetivo já é atrair a algum clube que, pelo menos, se faça cargo de sua ficha astronómica e deixe algo na caixa branca. Meios ingleses ontem falavam de um {trueque} {Neymar}-{Bale}. O brasileiro está cansado de esperar ao Barça, mas o intercâmbio não parece muito viável.

PRIMEIRA DERROTA / O furacão {Bale} passou acima do primeiro jogo/partido da pré-época branca, uma derrota (3-1) perante um {Bayern} que esteve mais {acertado} no primeiro tempo e que se impôs sem considerações, após o descanso/intervalo, a um Madrid de circunstâncias, com {canteranos}, contratações e {descartes}, entre os que destacou o golaço de falta de {Rodrygo}, o desenvoltura do japonês {Kubo} e o desdobre físico de {Mendy}.

Na primeira parte, Zidane experimentou com uma pressão intensa, com {Isco} na {mediapunta}, por detrás de Benzema, e com liberdade à frente de {Modric} e {Kroos}, acompanhado por {Asensio} e {Hazard} nas grupos. O belga foi crescendo com o passo do jogo e provocou os melhores minutos da sua equipa graças a seu jogo combinatório e a seu transbordo em corrida/curso, ainda com a carência de poderio físico no centro do campo que sofreu a equipa.

No horizonte assoma a complicada missão de {reclutar} a {Pogba}, apesar de contar com o entusiasmo do jogador por sair de Manchester. Enquanto, com o {PSG} disposto a vender a {Neymar} e a incapacidade económica do Barça, tudo pode passar ainda.

As notícias mais...