+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Um grande piloto forjado a golpes

 

15/05/2020

Pode que alguém pense que o tem tido mais fácil que ninguém sendo filho de quem é, do bicampeão do mundo de {rallyes} --e recentemente escolhido melhor piloto da história do mundial de {rallyes}-- e tripla campeã do {Dakar}. Erro. Os pilotos em média Espanha se morriam por medir-se a {Sainz} {jr} nos campeonatos de {kárting} para ganhar-lhe ou {echarle} da pista. Assim cresceu no automobilismo o filho do bicampeão de {rallyes}, a golpes entre rapazes que se acreditavam com o direito a jogarle sujo. Um mão-cheia de excelentes resultados internacionais em {karting} chamaram à atenção de Red Bull, que lhe incluiu em seu programa de formação de pilotos. E por pouco que alguém saiba como se maneja o médico/ doutor {Helmut} {Marko}, sabe que ter um pai campeão do mundo é mais um handicap que outra coisa ao escolher a um rapaz para a estrutura Red Bull, a escola que tritura pilotos, rapazes… o regime que parece doutra época.

E chegou à F-1 após brilhar em {GP3} e ganhar as {World} Séries. Debutou em 2014 em Touro {Rosso} junto a {Max} {Verstappen}. É com a passagem do tempo, quando mais se tem valorizado a luta entre ambos, a batalha com Nico Hulkenberg em Renault, o pletórico ano que completou em McLaren. «Sabe como jogar em plantel/elenco», disse o chefe de {Woking}, {Zak} {Brawn}, em seu nota de despedida. {Sainz} sempre manteve a McLaren ao dia de suas negociações com Ferrari, vai-se com tudo o respeito que se ganhou na pista e em centenas de horas de reuniões com os engenheiros para melhorar o carro/automóvel. Vai-se de McLaren após ter colaborado como um veterano na reconstrução da equipa inglês. «A passada época acabou sendo meu melhor ano em Fórmula 1, e um grande passo adiante para a equipa. Acabar quartos no campeonato de construtores e sexto no de pilotos foi um grande conquista. E além disso, o pódio em Brasil, com toda a equipa subido, foi a ginja perfeita do paste», explica {Sainz} numa carta de despedida a McLaren para quem assegura seu máximo esforço nesta época {express} de 2020 que ainda deve arrancar.

Rápido, consistente, profissional, intuitivo com a posta quase… A Carlos só/sozinho lhe faltava um pouco/bocado de mal humor, mais egoísmo, pior café.