+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Rubén Andrés não continuará como diretor desportivo do Mérida

A não renovação é «de mútuo acordo», segundo assegura o clube

 

Rubén Andrés. -

NONO SAAVEDRA MÉRIDA
23/05/2020

O Mérida anunciou ontem que Rubén Andrés deixa de ser o diretor desportivo do clube para a próxima época. Segundo o comunicado, a decisão de não renovar o contrato «não foi fácil de tomar para nenhuma das partes, e se fez de mútuo acordo e de maneira acordada».

Rubén Andrés chegou em meados da época 2018-19 da mão de Dani Martín. Pôde presenciar a única derrota do exercício, aquele doloroso 4-1 em Navalmoral, e lhe serviu para tomar decisões sobre/em relação a como devia reforçar ao plantel/elenco no mercado de inverno para conseguir o objetivo do promoção. O certo é que o encontro em feudo moralo foi um ponto de inflexão e o quadro de Santi Amaro terminou conseguindo o objetivo. Destacou naquela campanha a capacidade do próprio diretor desportivo quando se lesionou {Migue} Montes de gravidade face ao Cacereño para trazer rapidamente a outro avançado/ponta de lança de garantias como Miguel Ángel Espinar.

Nesta época que acaba de finalizar, se optou num princípio pela continuidade tanto/golo de grande parte da plantel/quadro, incluindo a presença de Santi Amaro no banco.

ÊXITO EM RAPARIGAS / No mercado de inverno se quis reforçar ao plantel/elenco e a Amaro o substituiu Diego Merino e a este, por sua vez, {Juanma} {Barrero} (nas dois últimas jornadas). No entanto, a época não estava sendo boa já que a equipa nunca foi capaz de abandonar os postos de descida/desmpromoção. Neste sentido, o diretor desportivo tem seu parte de responsabilidade tal como o resto de estamentos do clube.

Um das responsabilidades e objetivos que se marcou o próprio Rubén Andrés juntamente com o presidente, Paco Puertas, foi desenvolver a secção feminina do clube, e nesse afastado, a entidade romana está de celebração já que a equipa tem ascendido a Primeira Nacional após a decisão tomada pela Federação Extremenha. O conjunto/clube treinado por Ana Paredes e Ana Muriel, em seu estreia na competição, era líder quando se produziu a paralisação com muito bons {guarismos}: quinze vitórias e dois empates com 67 golos a favor e 10 contra.

Por outro lado, o Mérida volta a destacar por o seu trabalho social. Ao longo/comprido desta semana, tem organizado por meio de sua web cinco leilões de t-shirts da equipa a benefício a Cruz Vermelha Espanhola. O dinheiro total arrecadado ascende a 593 euros. A {zamarra} pela que se conseguiu uma maior/velho lança foi pela de Santi Villa com 145. A de Javi Sánchez se adjudicou por 135, a de Emilio Cubo por 130, a de Javi Chino por 101 e a de {Chirri} Monge por 82.