Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

#{QuedateEnCasa}

Os desportistas lançam uma mensagem de apoio e responsabilidade contra a {pandemía} do coronavirus

MARCOS LÓPEZ deportes@extremadura.elperiodico.com BARCELONA
15/03/2020

 

Confinados em suas casas, como milhões de pessoas pelo avanço da pandemia do coronavirus, os desportistas quiseram lançar uma mensagem de apoio e, ao mesmo tempo, de «responsabilidade» baixo/sob/debaixo de o {hashtag} comum de #{QuedateEnCasa}. La primeira e mais simples obrigação para combater essa doença. «É o momento de ser responsável e ficar em casa», escreveu ontem Messi em sua conta de Instagram acompanhando duma foto família na qual tinha apanhados a seus dois filhos maiores/ancianidade: {Thiago} e Mateo. Desde/a partir de Japão, Andrés Iniesta, que ainda vive as sequelas dessa doença, confinado na sua casa desde há semanas e com a Liga detida desde/a partir de no passado 25 de Fevereiro, tem reclamado que se faça «caso a todos os protocolos», instando «a ser os mais solidários do mundo».

O desporto tem entrado num território absolutamente desconhecido. Não há este fim-de-semana Liga em nenhum dos grandes países europeus, não há Champions, se calhar não tenha Eurocopa o próximo verão –poderia atrasar-se ao 2021– e correm sério perigo os Jogos Olímpicos de Tóquio, por muito que o comité organizador e o Comité Olímpico Internacional ({COI}) mantenham as datas previstas que fixam o 24 de Julho para a cerimónia inaugural e o 9 de Agosto para a de encerramento/encerra. Tudo está em dúvida, incluídos os desportistas que não podem treinar porque se têm fechado os {CAR} (centros de alto rendimento) de Madrid e Sant Cugat.

O centro da capital de Espanha já estava fechado desde/a partir de na quarta-feira passada; o de Catalunha, por outro lado, foi encerrado ontem porque se tem detetado um caso de positivo por coronavirus. Não se pode treinar e, além disso, se expõe agora ao perigo de que os Pré-olímpicos para determinados desportos também não se possam celebrar nas datas previstas.

«TOMA DE CONSCIENCIALIZA» / Mas os desportistas, encerrados em suas casas, quiseram aproveitar o enorme impacto social e mediático que produzem as suas mensagens (som verdadeiras fábricas de comunicação) para consciencializar a seus concidadãos. «La saúde é o primeiro», enfatizou Messi. «É o momento de ser responsável e ficar em casa», afirmou logo o capitão do Barça e da seleção argentina. Antes, Cristão já tinha escrito/documento nessa direção. «O mundo está passando por um momento muito difícil que nos exige o máximo cuidado e atenção de todos nós. Hoy não vos falo como jogador de futebol, mas sim como filho, pai e ser humano preocupado com os últimos desenvolvimentos que está afetando o mundo inteiro», enfatizou o português que está em {Madeira} junto a a sua mãe, que sofreu um ictus, realizando a quarentena porque {Rugani}, seu colega na {Juve}, deu positivo. «É importante que {sigamos} o aviso da OMS e os órgãos de governo para manejar a situação atual. Proteger a vida humana deve estar acima de qualquer interesse/juro», afirmou a estrela portuguesa, expressando seu «apoio continuado aos incríveis profissionais de saúde que põem suas próprias vidas em risco para ajudar a outros».

Lydia Valentín, a campeã olímpica de halterofilia, Sandra Sánchez, a {karateca}, {Simeone}, Luis Enrique, num vídeo conjunto/clube com os técnicos das diferentes seleções espanholas, tanto/golo masculinas como femininas, Marc Márquez, Pau Gasol, Sergio Ramos... La lista de desportistas aumenta a cada momento, com uma mensagem praticamente idêntico. «Eu me {quedo} em casa , porque é minha responsabilidade e porque temos que ser consequentes e fomentar o bem-estar comum», apontou Valentín. «Com tudo o que está passando, me sinto afortunada de {compatir} isto com Jesús e nossa decisão de pôr {tatami} em casa», escreveu também a campeã do mundo de {kata}.

«Quero lançar uma mensagem de ânimo, de apoio e, sobretudo, de toma de consciencializa nesta situação tão grave e tão complicada que estamos a viver», recordou Iniesta. «{Haced} caso. {Haced} caso aos protocolos e a todas as precauções que nos estão dizendo os profissionais. Temos de ser os mais solidários do mundo», reclamou o excapitão do Barça, unindo-se como Messi e o resto, a «um agradecimento eterno a médicos, enfermeiros, enfermeiras...».

As notícias mais...