Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

Paralisia total

Os clubes extremenhos suspendem também os treinos coletivos em todas suas modalidades

JAIME J. TORBELLINO deportes@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
14/03/2020

 

El desporto se detém totalmente na Extremadura. Já não é só/sozinho que o coronavirus tenha paralisado as competições, com ou sem público, mas também tem empurrado aos clubes a cancelar os treinos e qualquer atividade de estreitamente, fechando suas sedes. Dá igual a disciplina, a paralisia é total. Entre quarta-feira e quinta-feira as entidades desportivas suspenderam os entre'ns de suas categorias inferiores. Desde/a partir de ontem a suspensão é extensível aos desportistas sénior. Não terá treinos, também não à porta fechada, como em princípio muitos clubes tinham previsto fazer. Extremadura, Badajoz, Don Benito e Cacereño, por exemplo, se exercitaram ontem assim nas que serão as últimas sessões grupais em duas semanas... pelo menos.

Seguindo/continuando as indicações da Federação Espanhola de Futebol ({RFEF}), que recomendou suspender todos os treinos coletivos, os clubes da região foram variando seus planos iniciais. Também os de basquetebol, como o Cáceres Património, que tinha previsto voltar aos treinos na próxima semana. Agora se têm suspendido «até nova ordem/disposição».

EXTREMADURA {ud} / Após a recomendação realizada pela {RFEF} de interromper os treinos e seguir/continuar as recomendações dos peritos sanitários de ficar em casa, o Extremadura adotou a medida de suspender toda atividade desportiva para seu plantel/elenco profissional de Segunda Divisão, para além de equipas de pedreira/formação e feminino, pelo menos, até ao próxima segunda-feira 23 de Março. Isto quer dizer, que não terá treinos e que a cidade desportiva de Almendralejo ficará fechada a {cal} e canto.

Segundo explicam desde/a partir de o Extremadura, os técnicos de cada um dos equipas vão a estabelecer um plano de estreitamente específico para cada jogador em função das necessidades para salvaguardar este período de inatividade sobre/em relação a o campo, informa Rodrigo Morán.

Em relação ao futuro das competições, desde/a partir de o clube declinam poder/conseguir estabelecer um cenário hipotético em caso de suspensão definitiva da Segunda Divisão. Alguns empregados do ambiente do Extremadura não veriam com maus olhos propostas como as que se apresentam na Alemanha ou que, em seu dia, foram apresentadas em Chile, isto é, que se mantenham os promoções diretas segundo a classificação atual, não executar descidas e {reestablecer} o mesmo número de equipas no ano seguinte.

SEGUNDA B / Em Segunda B, o Don Benito fez ontem seu último treino em plantel/elenco. El clube anunciou a suspensão das sessões coletivas desde/a partir de hoy. De facto, ontem o {entreno} se fez à porta fechada no Vicente Sanz. A recomendação que a entidade {rojiblanca} deu a seus futebolistas é a de que fiquem em suas casas.

Los futebolistas receberam instruções do corpo treinador para continuar fazendo um estreitamente individual em seus domicílios, sempre atendendo a as recomendações sanitárias. «Desde/a partir de a entidade {abogamos} pela responsabilidade coletiva e nos {unimos} às medidas de prevenção que recomendam as autoridades sanitárias», assinalava o clube {calabazón} num comunicado.

Por enquanto no Don Benito estão como noutros clubes, esperando acontecimentos para ver como atuar nas próximas datas em caso de que a volta à competição se demore mais do previsto, informa Carlos Pino.

Também treinou ontem de manhã o Mérida, que em princípio tinha dado livre a seus jogadores até ao terça-feira, embora à tarde acabou suspendendo os treinos de forma indefinida. O mesmo fez o Badajoz seguindo/continuando a linha marcada pela federação espanhola.

TERCEIRA / El mesmo caminho de suspender treinos seguiram/continuaram em Terceira. Consultados de manhã, em Villanovense e Cacereño a intenção era seguir/continuar com as sessões de estreitamente à porta fechada. «Temos treinado hoy [por ontem] e lhe demos descanso/intervalo aos jogadores até ao quarta-feira, depois {volveremos} a treinar com normalidade», dizia de manhã Julio Cobos, treinador da equipa de Cáceres. Um par de horas depois o clube emitia um comunicado anunciando a suspensão dos treinos coletivos do primeiro plantel/elenco.

Igual foi a reação do Villanovense: «Se suspendem de forma indefinida os treinos da nossa primeira plantel/quadro, incidindo na responsabilidade dos nossos futebolistas para que fiquem em Villanueva de la Serena e não viajem a seus lugares de origem», dizia o clube num comunicado.

No Miajadas, por exemplo, a situação é diversa. El clube {tomatero} decidiu suspender treinos de maneira indefinida e enviar a seus jogadores a casa. Em breve está previsto que se lhes mande um rotina de estreitamente para que cada futebolista o faça de maneira individual em seu domicílio ou ao ar livre mas em lugares aberto.

Desde/a partir de o Miajadas se acredita que o realmente importante é a saúde pública. «Há preocupação de que vai a passar depois, que vai a passar com os partidos adiados e a competição, mas isto passa a um segundo plano porque o primordial é que tenhamos todos um comportamento cívico e sejamos capazes de parar a pandemia», assegurava a este diário/jornal o treinador {miajadeño}, Aitor Bidaurrázaga.

«O primeiro é a saúde», repetia Julio Cobos, que embora de manhã tinha pensado voltar ao estreitamente a semana próxima, se adiantava que se se suspendiam os treinos elaborariam um plano de estreitamente para que os jogadores o pudessem fazer em suas casas. «Los futebolistas disporão de um plano físico e nutricional que levarão a cabo em seus domicílios com o fim de não perder o estado de forma», anunciava o Villanovense.

El Moralo também anunciava a suspensão dos treinos. Não o fizeram publicamente outros clubes onde também se tem paralisado toda atividade.

«Lhes temos recomendado muita precaução», contava {Ernesto} Sánchez, treinador do Feminino Cáceres, que também para seus treinos de forma indefinida. As jogadoras têm um {plannig} de estreitamente para que o façam «em solitário em suas casas».

BASQUETEBOL / Com todas as instalações desportivas fechadas a {cal} e canto, os clubes cacerenhos de basquetebol não puderam treinar ontem. Também não tinham previsto fazê-lo com uma premissa muito clara. «A saúde é o primeiro», coincidiam Roberto Blanco (Cáceres Património) e Ricardo Vasconcelos (Nissan Al-Qázeres).

No clube da Liga Feminina Endesa tinham já claro de manhã que não voltariam a treinar nos próximos 15 dias. «Isto está acima do desporto», dizia o treinador luso. Cada jogadora tem um plano de estreitamente individual. Em princípio ficarão em Cáceres, embora ontem não estava claro que aconteceria com as norte-americanas, {Arica} {Carter} e {Jennie} {Simms}. «Não sabem que fazer; igual vão-se embora com o acordo/compromisso de voltar».

No Cáceres teve uma reunião de manhã para planificar os próximos entre'ns. A equipa descansava até ao domingo e voltava ao estreitamente a partir de segunda-feira, embora umas horas depois paralisou toda atividade. Agora elaborarão planos de estreitamente individuais para que os jogadores se exercitem em suas casas.

MAIS DESPORTOS / A suspensão de treinos não afeta só/sozinho a futebol e basquetebol (o {Mideba} também cessa qualquer atividade). Todos os que implicam {entrenenamientos} coletivos têm tomado a mesma medida para evitar possíveis contágios.

No futsal, com oito equipas extremenhos em categorias nacionais, também estão suspendidos os entre'ns. E em râguebi e em {voley}, como já informou este diário/jornal na sua edição de ontem. El Bicicletas Rodríguez recomenda a seus ciclistas que treinem evitando grupos e que sigam/continuem as recomendações das autoridades. Esse é a mensagem comum, no desporto e fora de ele.

As notícias mais...