+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O Mérida se afunda, {Merino} cai

O clube romano destitui a seu treinador após encaixar uma {durísima} derrota contra o {Villarrubia}

 

Diego Merino segue/continua desde/a partir de seu sítio no grupo um jogo/partido anterior do Mérida. - {MERIDA} {AD}

ÁREA 11 deportes@extremadura.elperiodico.com VILLARRUBIA DE LOS OJOS
23/02/2020

Final do jogo/partido. Pedimos desculpas a nosso hobby/adeptos pela dura derrota de hoy». Esse é a mensagem que punha o Mérida em seu Twitter nada mais acabar o duelo perante o {Villarrubia}, onde os romanos encaixaram uma {durísima} derrota (5-1) que os afunda um pouco/bocado mais no poço e acentua uma crise da que não parece capaz de sair. Uma hora e meia depois anunciava pelo mesmo meio a destituição de Diego Merino, segundo treinador que cai no clube emeritense esta época (o primeiro foi Santi Amaro).

O jogo/partido começou com um {Villarrubia} muito ligado que no segundo minuto de jogo já pôde adiantar-se com um disparo de {Fran} Cortés que parou Javi Sánchez. Tão somente dois minutos depois seria Javi Grillo quem fez uma grande parede com Carlos Martínez para que o segundo {realizara} um potente disparo que chocou na madeira e acabou no fundo da rede (1-0). Tanto/golo {tempranero} para a equipa castelhana manchego, que tinha saído lançado.

O encontro era muito vivo, com duas equipas que propunham um ritmo muito alto ao longo/comprido dos primeiros minutos. Os locais seguiriam/continuariam atacando e gerando perigo. No 6 {Dieguito} lançou uma falta medida que Toni Seoane rematou ao fundo da rede, mas a jogada foi anulada antes de que o atacante manchego {rematara}.

À medida que passavam os minutos, o conjunto/clube romano foi encontrando-se melhor e gerando suas primeiras posses longas com o esférico em seus pés. Os primeiros minutos tinham sido muito duros para os extremenhos, que sofreram uma e outra a vez a

Passado o primeiro quarto de hora, o Mérida pegou o comando com um {Poley} que ganhou muito protagonismo no centro do campo e que começou a conetar com atacantes como {Chirri} e especialmente com Antonio Pino.

O EMPATE / No 17, foi Pino quem gozou da primeira oportunidade clara para os visitantes, mas seu disparo o deteve {Samu} {Diarra} com uma grande vaidosa enviando o esférico a pontapé de canto. Mas tão somente um minuto depois o próprio avançado/ponta de lança romano aproveitaria um centro lateral para bater ao guarda-redes africano e igualar assim a contenda (1-1). Justo prémio.

O {Villarrubia} voltou a apertar após o tanto/golo contra. De novo criavam muito perigo pelos costados e também com os {saques} de grupo/ponta de um Carlos García que mandava o esférico até dentro do área.

No 25 {Chirri} pôde adiantar aos romanos com um disparo que se foi embora fora por muito poucos centímetros. No 30 {Fran} {Minaya} teve uma ocasião muito clara com um potente disparo que se {estrello} no trave. Um minuto depois seria {Dieguito} o protagonista com uma jogada individual que não encontrou rematador/goleador dentro do área pequena. Para acabar, no 4´ seria Carlos García quem provou fortuna desde/a partir de a frontal, mas o disparo foi por em cima do travessão por muito pouco/bocado. Sem tempo para mais se chegou no fim de uma primeira metade muito entretida que se saldou com um empate que mantinha vivas as esperanças de pontuação por parte do Mérida.

A DESASTRE / A segunda parte começou com minutos de estimativa, mas acabaria com um autêntico pesadelo para os interesses do Mérida. No 58 chegaria o segundo golo do {Villarrubia} com uma jogada pessoal de Carlos García (2-1). O lateral local se foi embora de dois defensores, caiu ao chão, se levantou e disparou batendo a Javi Sánchez. Duro golpe para um conjunto/clube romano que via como se punha de novo por detrás.

O assedio local não cessava e no 62 {Dieguito} e Carlos García realizariam uma grande jogada que acabou com o {paradón} de Javi Sánchez, que mandou a bola de pontapé de canto. No pontapé de canto os manchegos estiveram prestes a marcar, mas {Melchor} {despejó} baixo/sob/debaixo de paus.

No 74 chegou a ocasião mais clara para o empate do Mérida com um passe de Antonio Pino que Santi Villa não {acertó} com seu remate. Após perdoar/desculpar os extremenhos, chegaria o golo da sentença. Passe de Piolho a {Dieguito}, quem a picou acima do guarda-redes marcando o terceiro para os de {Villarrubia} dos Olhos (3-1).

No 82 os locais aumentariam a rendimento com um contragolpe magistral de {Arribas} que cedeu o esférico para que {Dieguito} marcasse sua dobradinha particular (4-1).

O pesadelo não finalizaria aqui. No tempo de desconto o {Villarrubia} gozou duma pena máxima a favor que Grillo aproveitou para marcar com um disparo raso e ajustado impossível para Javi Sánchez (5-1).

Dura derrota para um Mérida que vê como passam as jornadas e não chega uma vitória e já procura recarga para o banco.

{VILLARRUBIA} 5

MÉRIDA 1

3Goles: 1-0: {min}. 4, Carlos Martínez. 1-1: {min}. 18, Antonio Pino. 2-1: {min}. 58, Carlos García. 3-1: {min}. 78, {Dieguito}. 4-1: {min}. 82, {Dieguito}. 5-1: {min}. 91, Piolho, de grande penalidade.

3Árbitro: Yuste Querol (C. Valenciano). Amarela aos locais Carlos García e {Andriu}; e aos visitantes Carlos Moreno, Ceifado e Antonio Pino.

3Estadio: Novo Campo de {Villarrubia}.

3Espectadores: 1.000.

3Villarrubia: {Samu} {Diarra}; Carlos García, {Carvalho}, {Algisí}, {Andriu} (Piolho, {min}. 73), Carlos Martínez; Toni Seoane, Javi Grillo (Julio de Dios, {min}. 83); {Fran} {Minaya}, {Fran} Cortés ({Arribas}, {min}. 74) e {Dieguito}.

3Mérida: Javi Sánchez; {Melchor}, Mario Gómez, Carlos Moreno ({Jardel}, {min}. 63), {Salvi}; Rafa Mella, {Poley}, Ceifado ({Mena}, {min}. 46´), {Chirri}; {Espinar} (Santi Villa, {min}. 46) e Antonio Pino.