+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Máscaras, {geles} e luvas, a nova realidade azul-vermelho

Na próxima semana poderiam fazer os primeiros exercícios com grupos de oito. Os jogadores têm completado sessões individuais com seis jogadores por campo

 

O guarda-redes {Louis} {Yamagouchi} pega luvas e máscaras para sair da cidade desportiva. - {LALIGA}

RODRIGO MORÁN
15/05/2020

Os treinos voltaram à cidade desportiva do Extremadura, embora nunca antes teve uma sensação tão estranha como agora. O recinto tornou-se num autêntico bunker no qual as medidas de higiene e segurança estipuladas pelo protocolo de {LaLiga} som extremas. Os jogadores voltaram ao relva, mas em ocasiões, nem se vêem.

Manuel tem desenhado treinos desde/a partir de as nove da manhã, embora cada jogador tem seu horário personalizado. A razão não é outra que em cada campo só/sozinho pode ter seis jogadores ao mesmo tempo. E só/sozinho há dois terrenos de jogo. Além disso, os futebolistas não podem coincidir na bilhete à cidade desportiva, por isso vão entrando cada cinco minutos. Os temos de têm que esperar com o carro/automóvel arrancado fuera do recinto até que lhes toca seu revezo. Vêm já vestidos de desporto desde/a partir de casa e vão com a mesma roupa a tomar banho. No dia seguinte, a têm que trazer numa saco/sacola/bolsa biodegradável para que o serviço de lavandaria do clube a recolha.

Além disso, quando entram pela cidade desportiva, um operário de segurança lhes mede a temperatura e lhes entrega luvas e máscaras. Tudo baixo/sob/debaixo de a supervisão de um inspetor de {LaLiga} que vela porque se cumpram as normas.

Circuito físico/ Os treinos som individuais e se têm centrado em circuitos de força e velocidade para ir recuperando o tom físico, embora também há muita bola depois de/após quase dois meses sem tocá-lo.

«Estamos contentes de poder/conseguir voltar, porque isso significa que algo bom está passando. Isto é como o início duma pré-época, embora {echamos} muito de menos o contacto com os companheiros/colegas e o corpo treinador. Os jogadores somos muito de estar em contacto, de abraços, de estar juntos. Agora se faz estranho passar ao lado de um colega e não poder/conseguirle chocar a mão», diz o médio David Rocha.

Se a evolução da pandemia continua nesta linha e cumprem-se os planos de {LaLiga}, na próxima semana já poderiam treinar em grupos de oito jogadores, o que facilitaria as sessões de estreitamente.

No Extremadura já têm ativado o {chip} de competição com a ideia de procurar uma {machada} para a manutenção. Em princípio, a liga poderia voltar o 12 de Junho.