Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 26 de septembro de 2017

Marc Gasol guia até as ‘{semis}’

Um portentoso terceiro quarto do pívot termina com os problemas de Espanha frente a Alemanha

RICARDO MOLINELLI (EFE)
13/09/2017

 

Um terceiro quarto de sonho, com um imperial Marc Gasol, foi a chave da vitória de Espanha perante Alemanha num jogo/partido que se incrustou desde o começo para a equipa de Sergio Scariolo e que, após o 72-84, lhe abre de par em par as portas das meias-finais e da luta pelas medalhas.

Um péssimo início de jogo/partido da equipa espanhol, 7-0 ({min}. 2), condicionou totalmente o primeiro quarto, embora, pelo menos, teve a suficiente cabeça como para não querer recuperar a desvantagem em dois jogadas e ter paciência. Foi, claro, Pau Gasol o que tomou as rédeas da situação anotando 7 pontos seguidos/continuados, 13-9 ({min}.6).

A boa defesa foi a que segurou à seleção espanhola, apesar de que nalguns momentos se {cebó} demasiado no base {teutón} {Schroeder} e o primeiro quarto finalizou com um 19-16.

A saída de Joan Sastre, o especialista defensivo espanhol, no segundo quarto, significou uma maior pressão sobre/em relação a o base alemão, que teve mais dificuldades para gerar jogo. Assim as coisas, um parcial de 0-7 desde o minuto 13 (27-25) a 16 (27-32) deu as primeiras vantagens a Espanha.

Foi um tripla de Sergio ‘Rapaz’ Rodríguez o que significou a primeira vantagem e um dos três únicos triplos da equipa espanhol nos primeiros vinte minutos.

O 33-34 do descanso/intervalo evidenciou a superiodidade de Pau (12 pontos) e Marc Gasol (8) baixo/sob/debaixo de os aros e a escassa contribuição do jogo de perímetro na anotação. Justo o contrário que os alemães. {Schroeder} (10 pontos) e O (7), os dois bases, foram seus melhores anotadores.

Um tripla de Fernando San Emeterio nada mais começar o terceiro ato foi neutralizado de imediato por {Schroeder}, que anotou dois seguidos/continuados, para empatar o marcador 39-39 (21.30).

A igualdade se {adueñó} do marcador, sem que Alemanha {consiguiera} pôr-se pela frente/por diante, pelo menos até mediado o quarto, 43-43. Embora na jogada seguinte o conseguiram (45-43).

A RAJADA CHAVE / Marc Gasol foi o grande protagonista do terceiro quarto com 18 pontos anotados e 3 de 4 triplos, para além de 4 ressaltos. Sastre voltou a ser importante neste quarto, com sua defesa e com um tripla que voltou a significar que Espanha voltasse a pôr-se pela frente/por diante, 48-50 ({min}.26.40). Sergio Rodríguez e Marc Gasol também anotaram triplos e Espanha alcançou a maior vantagem do jogo/partido, 50-56 ({min}.28).

Com o 53-65 no fim do terceiro quarto, Alemanha começou a ver o panorama muito negro. A equipa espanhola, pelo contrário, foi sentindo cómodo conforme as vantagens foram estabelecendo, 57-70 ({min}.32).

A porta das medalhas começou a entreabrir-se para a vigente campeã de Europa na mesma medida na qual Alemanha foi ficando sem recursos para travar a anotação dos espanhóis. {Schroeder} se voltou mais individualista e Espanha soube navegar com mão firme até a vitória.

{alemania} 72

españa 84

3Marcador por quartos: 19-16, 33-34 (descanso/intervalo), 53-65 e 72-84.

3Árbitros: Manuel Mazzoni ({ITA}), {Panagiotis} {Anastopoulos} ({GRE}) e {Aleksandar} {Glisic} ({SRB}). {Theis} foi eliminado por cinco pessoais ({min}.39).

3Pabellón: {Sinan} {Erden}.

3Espectadores: 1.900.

3Alemania: {Voigtmann} (2), {Tadda}, {Benzing} (4), {Schroeder} (27), {Barthel} (6) -plantel/elenco inicial-, O (9), {Staiger} (1), {Theis} (15), {Akpinar} e {Thiemann} (8).

3España: Pau Gasol (19), Rubio (2), Marc Gasol (28), San Emeterio (3) e Navarro -plantel/elenco inicial-, Rodríguez (11), {Willy} {Hernangómez} (7), Sastre (8), {Oriola} (4), {Vives} e Juancho Hernangómez (2).

As notícias mais...