Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 24 de novembro de 2017

Malditos minutos finais, outra vez

Ao Badajoz se lhe volta escapar sua primeira vitória ao encaixar um golo na reta final do jogo/partido

ÁREA 11
11/09/2017

 

Pela frente/por diante desde o minuto 35 graças a um golo de {Guzmán} de grande penalidade e quando mais controlado tinham o duelo o Badajoz, o O {Ejido} empatou perto do final do jogo/partido (1-1). Outra vez que se escapa a vitória ao conjunto/clube {blanquinegro} e outra vez na reta final de encontro. E vão quatro, tantas como jornadas se têm disputado.

Deixou escapar a possibilidade de colher seu primeiro triunfo {liguero} o Badajoz e a distribuição de pontos, não serve a nenhum para escapar da zona baixa, mas deixa pior sensação ao plantel/elenco de Badajoz, tendo em conta que esteve mandando no marcador mais de meio encontro e além disso, se lhe escaparam os dois pontos diminuindo somente três minutos para o final.

Sem dominador claro nos instantes iniciais, ambos conjuntos se assomaram {tímidamente} à área contrária, mediante um centro desde a direita ao que não chegou por pouco o {ejidense} Alfonso e um pontapé de canto {botado} sem consequências pelos badajocenses, sendo admoestado Jesús Muñoz no minuto 8al derrubar a {Velasco} muito perto de a frontal da área, correndo a cargo a execução da falta do próprio médio {cordobés}, macia e às mãos do objetivo/meta {Néstor}.

Cumprindo's o quarto de hora de jogo, a primeira grande ocasião do encontro correu a cargo dos {ejidenses}, com remate dentro do área de {Carralero} que impactou no poste, {despejando} finalmente a bola a defesa visitante. Decorreram vários minutos até que se voltou a ver uma ação que pudesse implicar certa perigosidade, noutra falta, mas esta vez bastante mais afastada e que {botó} o local {Rodri}, cabeceando Lolo o couro que apanhou {Néstor}.

Pena máxima CLARA / No entanto, de oportunidades não se vive no futebol e como se costuma dizer, quem perdoa o termina pagando caro, dado que o Badajoz se tinha mostrado pouco/bocado {ofensivamente} desde o minuto 10 e no 33, a subida pela direita de {Álex} Ferreira acabou em centro raso até {Diakité} que recebia dentro da média/meia lua e rematando, foi derrubado por {Velasco} já pisando área, pelo que o árbitro murciano {Martínez} {Montalbán} assinalou grande penalidade e {Guzmán} o transformou apesar de que {Gianfranco} adivinhou a trajetória, ajustada ao máximo à base do poste.

Os pupilos de Juan Marrero trataram de tirar proveito do fugaz desconcerto {ejidense}, embora enquanto este se diluiu, o plantel que treina Alberto González recuperou seu selo e justo uns segundos antes do descanso/intervalo, o avançado/ponta de lança {Hakim} perdoou o empate.

Ao regresso de balneários, nada mais que 42 segundos tardou {Hakim} em pôr a prova a {Néstor}, chutando de primeiras desde o grupo direita e o {cancerbero} se esticou para mandar a bola a pontapé de canto, cujo lançamento também {despejó}, de punhos. Depois de/após 10 minutos nos que, tanto/golo um conjunto/clube como outro se {enzarzaron} numa batalha por fazer-se com maior peso no centro do campo, se produziram perigosas chegadas locais protagonizadas por {Carralero} e {Hakim}.

Mas o quadro extremenho se fez notar na hora de jogo/partido, entrando na área {Juanma} e seu tiro se foi embora alto. O treinador local realizou a primeira substituição, saindo o extremo Alfonso e seu lugar o ocupou {Echu}, quem no primeiro bola que tocou disparou a porta e entre {Néstor} e o trave a bola não entrou. Sim fizeram-no no terreno de jogo o {ejidense} {Paquito}, por {Carralero} e o {blanquinegro} {Álex} Rubio, por {Guzmán}, ambos mudanças ao {filo} do 70.

A essas alturas do duelo, o tempo passava demasiado depressa para os jogadores do O {Ejido}, incapazes de criar alguma opção de igualada, enquanto os badajocenses se desenvolviam melhor do esperado e não parecia que o tempo {avanzara} tão lento como deveria, alcançando's o minuto 80 após o que chegou a entrada de Álvaro Romero por {Joaqui} Flores, ambos de perfil atacante e nas filas {almerienses}, González sim esgotava suas vazas com a inclusão sobre/em relação a o verde do avançado/ponta de lança {Kevin} pelo central {Arregi}.

Tudo apontava a um plácido triunfo do Badajoz, até que uma jogada isolada o celeste {Paquito} mandou a bola poste e o rejeite o mandou {Echu} ao fundo da baliza, assinando o empate no minuto 87. O golpe pôde ser pior para os de Marrero, pois {Velasco} lançou forçado demasiado alto desde dentro do área à falta de dois minutos, embora ainda ficava ver aos visitantes malogrando um contragolpe de dois contra a um em superiodidade, finalizado por {Álex} Rubio e abortando a perna salvadora de {Gianfranco}. No desconto, a equipa extremenha procurou recuperar a vantagem, mas já era tarde e a distribuição de pontos não satisfez a nenhum.

o {ejido} 1

{badajoz} 1

3Goles: 0-1: {min}. 35, {Guzmán} (de grande penalidade). 1-1: {min}. 87, {Echu}.

3Árbitro: {Martínez} {Montalbán} (Múrcia). Amarela aos locais Emilio Cubo, Javi Hernández e {Kevin}, para além dos visitantes Muñoz, {Esteban}, Javi Rey e {Manu} Torres.

3Estadio: Santo Domingo.

3Espectadores: 1.300.

3El {Ejido} 2012: {Gianfranco}, Emilio Cubo, Javi Hernández, {Arregi} ({Kevin}, {min}. 85), David Fernández, Lolo, {Velasco}, {Rodri}, {Hakim}, {Carralero} ({Paquito}, {min}. 69) e Alfonso ({Echu}, {min}. 64).

3Badajoz: {Néstor}, {Álex} Ferreira, {Manu} Torres, Muñoz, {Esteban}, {Diakité}, Javi Rey, {Ruano}, {Joaqui} (Álvaro Romero, {min}. 82), {Juanma} e {Guzmán} ({Álex} Rubio, {min}. 70).

As notícias mais...