Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 20 de julho de 2018

O «honra» de {Coutinho}

O Barça não dá as cifras da custosa operação alegando um pacto de confidencialidade

JOAN DOMÉNECH
09/01/2018

 

Era um segunda-feira de Janeiro, não um sexta-feira de Julho, e a apresentação de {Philippe} {Coutinho} não se correspondeu com a que deveria ser tratando-se do contratação mais caríssima da história do Barça. A quantidade/quantia mais alta jamais paga pelo clube (120 milhões e 40 em variáveis) apenas atraiu a 7.436 pessoas ao Camp Nou, uma cifra ridícula em comparação com precedentes similares, desde Villa a {Henry}, e desde {Ibrahimovic} a {Neymar}, por citar quatro dianteiros carismáticos e de impacto.

Não superou {Coutinho}, sequer, as 17.814 pessoas que se congregaram para ver a {Ousmane} {Dembélé} o 28 de Agosto. O futebolista que quebrou a barreira dos 100 milhões e estabeleceu um novo recorde particular do clube. Cinco meses depois, em consonância com a desvairada espiral inflacionária do mercado, {Coutinho} superou o fixo dos 105 milhões que o Barça começou a pagar ao {Borussia} {Dortmund} por {Dembélé}. Ao {Liverpool} lhe entregará 120 milhões, segundo tem transcendido. «¿Sente uma responsabilidade especial por ser o futebolista mais caro do Barça?», lhe perguntaram. «Não, é um honra, é um sono/sonho estar aqui», assegurou.

145 MILHÕES DE {LIBRAS} / «Não podemos dar nenhuma cifra por desejo do {Liverpool}», disse Jordi Mestre, o vice-presidente desportivo azul-vermelho, alegando uma suposta cláusula de confidencialidade com o clube inglês para negar-se a detalhar o alcance da operação. Uma {nebulosa} que já se produziu com {Neymar}.

O diário/jornal inglês {Daily} {Mail} concreta/concretiza um pacto por 145 milhões de {libras}, que seriam 164 milhões de euros. Em Barcelona, por outro lado, consta que serão 120 milhões de euros mais 40 em variáveis. Igual que {Dembélé}: no caso do francês, 10 milhões se entregarão ao {Dortmund} quando dispute 50 partidos, e outros 10 milhões se o Barça se classifica para a Champions League ¡uma vez em cinco anos! Os outros 20 ficaram sujeitos a outros parâmetros como os títulos conquistados. Com o brasileiro, ao que parece, se pagarão 30 milhões segundo os partidos disputados.

{Coutinho} já passou à história azul-vermelho sem meter um golo, do mesmo modo que ele cumpriu um sono/sonho sem ter jogado nem um minuto. Só/sozinho com ter contratado pelo Barça, «o melhor clube do mundo, com os melhores jogadores e por onde passaram grandes ídolos e onde há grandes ídolos», explicou {Coutinho}, que assinou por cinco épocas e média/meia. Até ao 2023. Sua cláusula será de 400 milhões. Seu estreia, por enquanto, deverá esperar. Está lesionado e tem para 20 dias.

Os números, extraordinários, se afastaram da {convencionalidad} do ato de apresentação sobre/em relação a o relva do Camp Nou. Os adeptos apenas viram a {Coutinho} 10 minutos. Não chutou nem a bola à bancada, lesionado como está no reto do coxa direita, embora pôde brincar com vários meninos. Mas a jornada foi muito mais intensa desde que no dia anterior o clube lhe levasse de visita ao Camp Nou após o encontro face ao Levante.

«Houve uma diminui substancial do {Liverpool} desde o verão», afirmou Mestre para justificar a mudança de opinião do clube. Nessa altura, {Albert} Costumar, diretor de desportos profissionais, argumentou a negativa a gastar 270 milhões em {Dembélé} e {Coutinho} com estas palavras: «Gastar 270 milhões por dois jogadores teria sido uma irresponsabilidade e teríamos que demitir-se». «{Albert} Costumar não tem demitido», esclareceu Mestre. Entre os dois somam 260 milhões.

As notícias mais...