+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O Extremadura se enfrenta a seu repto/objetivo mais complicado

Os de Manuel necessitam ganhar este sábado em Málaga para seguir/continuar com vida. A derrota perante o Albacete {descuelga} aos azuis-vermelhos que não levantam cabeça

 

Manuel dá indicações a seus jogadores durante um treino no Francisco de la Hera. - {LALIGA}

RODRIGO MORÁN
19/06/2020

Há um lugar-comum muito recorrente que, ao mesmo tempo, é uma grande realidade: «nalgum momento, a nora se para». E o Extremadura corre o risco de que esse momento seja esta época para perder o sono/sonho do futebol profissional. Acostumado aos grandes reptos/objetivos e proezas, os azuis-vermelhos têm perante si, muito possivelmente, a mais difícil de todas as façanhas. A cinco pontos da salvação/manutenção, com só/sozinho nove partidos pela frente/por diante, deveriam fazer um {sprint} final memorável para conseguir a salvação/manutenção. Não é impossível, mas parece pouco/bocado factível.

E o parece, fundamentalmente, pelas últimas sensações que desprende a equipa sobre/em relação a o relva. Perante o Albacete, este passado quarta-feira, o Extremadura coalhou um {horripilante} encontro. Sem ritmo, sem ocasiões, sem intensidade, sem controlo. Um vergonha que penalizou o Albacete com um golo ao {filo} do descanso/intervalo. Um jogo/partido de quatro pontos perante um rival direto que lhe ganha o {golaveraje} particular. Como aconteceu antes com Tenerife e Oviedo.

O único que ainda acredita na {machada} é Manuel Mosquera, com um otimismo infinito, embora certamente se lhe viu mais afetado da habitual após a derrota perante o Albacete. «Aqui não se rende ninguém nem de {coña}. Ficam nove partidos. Claro que já não podemos dizer que isto seja fantástico. Não o é. Perdemos um jogo/partido importante onde nos tem faltado personalidade, nível futebolístico e equilíbrio».

O Extremadura não está encontrando nem o desenho nem as peças para ser competitivo neste troço final da época. A era {post} {covid}-19 também não lhe tem sentado bem, com um só/sozinho ponto de seis conseguidos. Há jogadores que seguem/continuam sem quebrar e a equipa está acusando todos esses fatores.

Málaga/ O pessoal azul-vermelho treina hoy pela última vez na cidade desportiva antes de partir amanhã certamente a Málaga, onde joga em A Roseiral a partir das 21.45 horas. Fá-lo-á sem margem de erro. Será a primeira das verdadeiras finais de um plantel/elenco ao que só/sozinho lhe vale ganhar na Costa do Sol para ver um raio de esperança.

O Extremadura viaja com a baixa de {Fran} Cruz, por acumulação de cartões. Além disso, Kike Márquez, {Gao} e {Samuel} {Manchón} seguem/continuam lesionados.