+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O Extremadura Arroyo formula duas propostas para a Superliga 2

O clube espera que a competição possa ser assuntível para todos

 

REDACCIÓN CÁCERES
17/05/2020

A diretiva do Extremadura Arroyo, presidida por Adolfo Gómez, treinador também da equipa de Superliga Feminina 2 ({SF2}), tem enviado duas propostas à Federação Espanhola de Voleibol/vólei ({RFEVB}), nas que se concretizam aspetos tão diversos como o número de equipas que comporiam esta categoria/escalão a próxima campanha, bem como a datas de começo e finalização.

O clube extremenho decidiu concretizar esta iniciativa depois de/após conhecer do presidente da {RFEVB}, Agustín Martín, com quem manteve uma longa reunião telemática recentemente, qual é o sentir dos equipas que conformam a Superliga Iberdrola, máxima categoria/escalão do voleibol/vólei espanhol, postura que {indefectiblemente} condicionará ao resto de categorias.

Será a Comissão Delegada da {RFEVB} a que emita parecer finalmente como ficará constituída cada divisão do {voley}, com suas descidas e promoções se os tivesse, e que informará em relação numa Assembleia telemática que se levar a cabo depois o 20 de Maio.

O Arroyo tem redigido duas propostas, obra de Gómez e da responsável da direção técnica, {Judith} Pérez. A comissão pode decidir que a {SF2} siga/continue contando a próxima época com dois grupos de 12 clubes cada um, sem promoções nem descidas, ou bem que sim os tenha, questão que afetaria de forma notável à Primeira Divisão Nacional, e ao número de equipas implicadas no promoção que poderiam dar o salto a superior categoria/escalão, um suposto que poderia implicar uma divisão de 34 equipas.

Para ambas proposições se valoriza um cenário condicionado à {desescalada} sanitária, que pretende ajustar a realização da liga regular/orientar entre 14 e 18 jornadas, em 3 ou 4 grupos, para um total de entre 24 e 34 equipas.

Na primeira proposta a liga começaria o 8 de Novembro e finalizaria na segunda semana de Março, disputando-se a fase de promoção a Superliga em Abril, enquanto a Copa de la Princesa se jogaria em finais de Janeiro.

A segunda proposição se enquadra num cenário mais atrasado no tempo, no qual se asseguraria as condições sanitárias e a assistência de público às competições. A mesma daria começo o último fim-de-semana de Janeiro de 2021, finalizando a última semana de Maio, com a fase final em Junho e a disputa da Copa de la Princesa em meados de Abril.

Adolfo Gómez sublinhou que dessa decisão “depende o futuro competitivo do Extremadura Arroyo”, e acrescentou que “não se trata de arriscar por ser os primeiros, trata-se de demonstrar que o desporto pode ser um ativo responsável na volta à normalidade social e um arma firme/assine de recuperação económica”.

“Os clubes desportivos som entes de dinamização da economia ao promover contratos de estreitamente (técnicos e jogadoras), alugueres de habitações/casas/vivendas, utilização de hotéis e restaurantes, serviços sanitários, seguros, alimentação e o mais importante, a formação integral de futuras desportistas”, tem concluído.