Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 20 de septembro de 2018

Espanha gera dúvidas perante Tunísia

O golo de {Iago} {Aspas} muito perto do final dá o triunfo a uma seleção irregular

ROBERTO MORALES (EFE) deportes@extremadura.elperiodico.com KRASNODAR
10/06/2018

 

Espanha fechou a preparação do Mundial 2018 assinando o pior jogo/partido da ‘era {Lopetegui}’, repleto de imprecisões e a seis minutos de ficar pela primeira vez sem marcar desde a mudança de selecionador, até que {Iago} {Aspas} saiu ao resgate para derrubar a fortaleza física de Tunísia.

Era a última prova em forma de amistosos/jogo particular antes de um Mundial no qual sobre/em relação a a seleção de Espanha recai um dos favoritismos. A euforia de um tempo {inmaculado} se trava em parte com dois amistosos de preparação que deixam dúvidas que se devem {despejar} na competição.

Os sintomas mostrados perante Suíça se confirmaram num amistosos/jogo particular para o esqueço perante Tunísia. Domínio sem colagem/colada, insegurança no passe e um mau retirada defensiva mostraram carências inesperadas no seu primeiro ato.

O touro no centro do campo do {Krasnodar} {Stadium} representava uma fúria da que faz tempo se afastou Espanha. Agora mostra futebol de passarela repleto de qualidade técnica embora, de vez em quando, não está mau descer ao lama. Fê-lo Tunísia, para a que não há amistosos, mas oportunidades de reivindicar seu futebol, seu futebol prático.

SEM COMPLEXOS / O rival de Espanha chegava à cita/marcação/encontro após nove partidos sem perder, com uma classificação impecável ao Mundial, e mostrou as razões. Física, valente com sua pressão alta e direta com a bola. Encontrou espaços à costas de {Odriozola}, mais brilhante no ataque que em defesa, e se topou com De {Gea} quando pôde desequilibrar o duelo.

Espanha dominó, até um 72 por cento de posse de bola no fim da primeira metade, mas não esteve fina na zona onde costuma desequilibrar. {Lopetegui} provou com Rodrigo de 9 e se cansou de procurar o espaço, gerou opções de ataque sem remate. {Enganchó} um de cabeça que não encontrou porta por bastante pouco/bocado. Junto a um disparo distante de Ramos que afagou o travessão, foi o mais perigoso.

A magia de Iniesta, {Isco} ou {Thiago} se mudou por imprecisão. Dos postos que ainda dançam no onze que se estreará no Mundial perante Portugal, o de {Thiago} que pugna com {Koke} é que o mais dúvida gera. Um erro seu, dos que custam caros num jogo/partido decisivo, provocou a primeira ocasião clara de Tunísia. {Badri} não chutou com tudo para fazê-lo e {Ferjani} fê-lo macio a mãos de De {Gea}.

INSEGUROS / As imprecisões de Espanha geraram insegurança e ao plantel/elenco lhe faltou faísca. {Sliti} chutou em cima a primeira que teve e perdoou no segundo pau de cabeça a segunda. As boas sensações da Vermelha se teriam que recuperar numa segunda parte na qual {Lopetegui} procurou soluções com a entrada de {Koke} e Lucas Vázquez, mais a opção de {Nacho} como solução ao lateral direito se não chega {Carvajal}.

O 1-4-5-1 de Tunísia se seguiu/continuou engasgando a uma Espanha que pôs mais movimento à posse. Lhe serviu para ir encerrando ao rival em seu campo, anular suas chegadas pelos metros que lhe separavam da área e começar a afinar pontaria com dois tentativas de Jordi Alba, de canhotaço distante, e Silva inclinado, até que Diego Costa aos 64 minutos disparava pela primeira vez a porta. Sua entrada com a de Quadro {Asensio} supunha o última tentativa de {Lopetegui}, que finalizava com modificação do sistema.

Deixou defesa de três para dar entrada a {Iago} {Aspas} num movimento que foi decisivo. Quando o jogo/partido morria, um movimento de Diego Costa lhe deixou perante o guarda-redes, ao que sentou, mas foi inclinando até perder a opção de golo e procurar um amigo. Apareceu {Aspas} para, de disparo raso potente, marcar o tanto/golo do triunfo de Espanha. O tanto/golo premeia o ímpeto até ao fim, mas não alivia as dúvidas inesperadas antes do Mundial de Rússia. Na sexta-feira começa o sério.

españa 1

{túnez} 0

3Gol: 1-0, m.84: {Iago} {Aspas}.

3Árbitro: {Bas} {Nijhuis} (Holanda). Admoestou com o cartão amarela a {Sassi} e {Srarfi} por Tunísia.

3Estadio: {Krasnodar} {Stadium}.

3Espectadores: 33.116.

3España: De {Gea}; {Odriozola} ({Nacho}, m.46), Sergio Ramos, Piqué, Jordi Alba ({Iago} {Aspas}, m.); Busquets, {Thiago} ({Koke}, m.46); Iniesta, {Isco} (Lucas Vázquez, m.46), Silva ({Asensio}, m.60); e Rodrigo (Diego Costa, m.60)

3Túnez: {Aymen}; Dylan Bronn, {Benyoussef} {Syam} ({Srafi}, m.90), {Meriah}, Ali Maârloul ({Haddadi}, m.58); {Fahreddine}, {Khaoui} (Ben Amor, m.62), {Skhiri}, {Ferjani} {Sassi}, {Bradi} (Ben Alouane, m.78); e {Naim} {Sliti} ({Khalifa}, m.70).

As notícias mais...