Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 21 de septembro de 2018

Emilio Pinto vai à cadeia e três do Santa Teresa são investigadas

A prisão o ‘cabecilha’ duma trama que implica a {Estefa} Lima, {Nayadet} López e {Marta} {Parralejo}

J. O. deportes@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
13/06/2018

 

Los {amaños} de partidos para favorecer apostas ilegais voltam a golpear com estrondo ao futebol extremenho. Ontem se conheceram os detalhes das operações ‘Pizarro’ e ‘Cortés’. Los mais surpreendentes são a detenção e rendimento em prisão do exfutebolista Emilio Pinto como «cúspide» da trama e a toma de declaração como investigadas de três jogadoras do Santa Teresa: Estefanía Lima ‘{Estefa}’, Nayadet López e {Marta} {Parralejo}.

Segundo um comunicado da Procuradoria Provincial de Badajoz, parte destas detenções estão relacionadas com outras que se levaram a cabo em Fevereiro. «O resto se corresponde com uma organização criminoso/criminal dedicada ao {amaño} de partidos de Terceira Divisão de futebol masculino e {Prmera} Divisão de futebol feminino», se afirma abertamente.

A inclusão de várias jogadoras significativas do Santa Teresa tem resultado uma comoção inesperada. Tanto/golo {Estefa} como Nayadet e {Marta} {Parralejo} levavam vários anos no clube de Badajoz, que esta época tem descido de Primeira a Segunda Divisão.

Emilio José Pérez, mais conhecido {futbolísticamente} como «Emilio Pinto», seria o ‘cabecilha’. Se retirou no fim da época 2016-17 dos terrenos de jogo depois de/após passar por CD Badajoz, Villanovense, Don Benito, UD Badajoz, {Díter} Zafra (três etapas), Xerez (dois etapas) e Don Benito.

«Dentro da organização, concorrem uma série de {intermediarios} que se poriam em contacto diretamente com os jogadores e acordariam os {amaños} concretos», sustenta a Procuradoria. «Desta forma, e mediante apostas nos mercados asiáticos, se obteria o financiamento necessário para o pagamento dos {amaños}. Los {amaños} consistiriam em que no jogo/partido se superassem um número determinado de golos e em apostar ‘{over} 2.5’ nos mercados de apostas (mais de três golos por jogo/partido», acrescenta.

Ontem passaram pelo tribunal/réu/julgado de Instrução número 2 de Zafra três detidos a disposição judicial, tendo's decretado a prisão provisória sem fiança para Emilio Pinto e liberdade sob fiança de 3.000 euros, proibição de saída do território nacional e retirada de passaporte a dois de seus supostos colaboradores, com iniciais R. A. T. V. e Ou. R. A., decisões que coincidem plenamente com os pedidos formuladas pelo Ministério Fiscal.

AS RAPARIGAS / No que diz respeito ao Santa Teresa, a Procuradoria de Badajoz confirmou que a polícia deteve a N. Z. L. Ou., E. L. D. e M. P. M. --suas iniciais coincidem integramente com as futebolistas mencionadas--, que foram ocasos em liberdade com cargos após prestar declaração.

O clube de Badajoz emitiu na noite de segunda-feira um comunicado no qual afirmava que não tinha recebido «comunicação policial nem judicial alguma em relação ao assunto difundido» e que «com independência da duvidosa {licitud} de difundir supostas atuações judiciais não públicas, considera que se está danificando gravemente sua imagem e honra, pelo que se reserva as ações legais que sejam procedentes». Além disso, «como entidade com personalidade jurídica própria, nega rotundamente qualquer atuação contrária ao jogo limpo como princípio inspirador de toda competição desportiva».

Sua tentativa de aparentar normalidade e que é alheio ao acontecido com seus três futebolistas é que difundiu a renovação de Sofía Melchor após superar a lesão de joelho que sofreu no passado mês de setembro.

As operações ‘Cortés’ e ‘Pizarro’ não têm terminado ainda e suas atuações se estendem a vários pontos a nível nacional. Hoy também passarão a disposição judicial outros dois investigados detidos procedentes de Madrid e Valência. Para além de na província de Badajoz, se produziram detenções nas de {Sevilla}, Cádiz, Madrid, Almería, Múrcia e Valência.

As notícias mais...