+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Doble salto mortal de Kike Carrasco

El extremo do filial azul-vermelho poderia estriar-se esta sexta-feira em Segunda Divisão sem passar nem nem sequer por Segunda B. «Me vejo já perto de meus companheiros/colegas. É a ilusão/motivação de toda a vida, poder/conseguir ser profissional», admite o jovem futebolista

 

Em ação 8 Kike Carrasco, no treino de ontem com o Extremadura. - R. M.

RODRIGO MORÁN
10/06/2020

El sono/sonho de qualquer menino apaixonado do futebol costuma ser sempre o mesmo: jogar no plantel/elenco de teu cidade e fazê-lo ao máximo nível. Não é fácil cumprir porque não é fácil ser profeta na terra de cada um, mas às vezes, até as {situacios} mais adversas e comprometidas, podem gerar grandes oportunidades. Que se o digam a Luis Enrique Carrasco Acosta (Almendralejo, 1998), mais conhecido como ‘Kike Carrasco’. Este {almendralejense} de 22 anos está prestes a protagonizar o que se conhece como ‘dobro salto mortal’ no futebol, isto é, passar de jogar em Terceira Divisão a fazê-lo diretamente no futebol profissional, neste caso, em Segunda.

Extremo, habilidoso, elétrico. Seu atrevimento e descaro surpreendeu aos técnicos azuis-vermelhos durante esta atípica fase de treinos. Isso, e a praga de lesionados e tocados com a que conta o Extremadura em fase ofendida, lhe abrem muitas opções de estriar-se como azul-vermelho em {Elche}.

«El míster já nos disse que {íbamos} a ser úteis para a equipa e que não fôssemos os mesmos que no filial, mas somos um mais deles», diz o jovem {almendralejense}, quem assegura estar muito bem {fisicamente} para enfrentar o repto/objetivo: «nos deu tempo de pôr-nos ao ritmo. Eu, pessoalmente, me vejo já perto de eles. É a ilusão/motivação de toda a vida, poder/conseguir ser profissional», admite.

Aventureiro

De talento inato, o futebol lhe tinha dado já várias oportunidades a Kike Carrasco, embora este pequeno ‘Príncipe’ de Terra de Lamas não as tinha sabido aproveitar. Esteve vários anos na pedreira/formação do Rayo Vallecano, mas não terminou prosperando. Passou também pela pedreira/formação do {Alavés}, mas não encontrou oportunidades. Logo, esteve um ano no {Novelda} valenciano e o passado exercício no Montijo, ambos em Terceira. Neste ano decidiu voltar a casa para alistar-se nas filas do filial e recuperar o brilho perdido. Quando parecia que seu talento se apagava, este paralisação inesperado e uma época mais que notável lhe têm aberto uma opção que não podia nem imaginar: «eu tivesse assinado estriar-se em Segunda em minha casa. É como um sono/sonho», confessa.

Tanto/golo ele como seus companheiros/colegas do filial que treinam com a primeira plantel/quadro, estão conscientes de que o estreia é mais que uma realidade, pelo que tratam já de sacudir-se essa pressão acrescentada. É mais, nas suas declarações, pensa mais como um veterano que como um {canterano}: «temos de começar bem porque isso nos marcará o caminho», precisa.

Um jovem corajoso se tem coado inesperadamente nos planos de Manuel para o final da época. El futebol volta a dar-lhe outra oportunidade. E, nesta ocasião, com a lição bem aprendida.

Juntamente com seus companheiros/colegas apura a preparação para {Elche}, onde na sexta-feira volta a competição para a equipa. Há muita vontade de relva e de voltar a usufruir.