Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 25 de novembro de 2017

{Doblas} e {IQ} Finanças esclarecerão hoje as dúvidas sobre/em relação a o ‘novo’ Cacereño

O desembarco da empresa mexicana que controlava o {Avilés} segue/continua rodeada de interrogantes

JOSÉ MARÍA ORTIZ deportes@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
12/09/2017

 

Para hoy se ha anunciado la convocatoria de una rueda de prensa en la que, sobre/em relação a o papel, se explicariam detalhes da operação. Por enquanto, o confirmado desembarco da firma/assinatura/assina mexicana {IQ} Finanças no Cacereño, em princípio adquirindo um importante pacote {accionarial} a Antonio Martínez Doblas, está rodeado de grandes doses de mistério. Encontrar respostas a perguntas, agora no ar, deve ser o próximo passo a dar no seio do decano do futebol extremenho, cujos adeptos estão instalados a partes iguais entre a incerteza e a intriga, ao passo que na expectativa.

Nem o próprio farmacêutico de Zafra quis aprofundar em isso. Se acredita que o importante agora é pôr ordem/disposição na estrutura da entidade. Nem muito menos Álvaro López, o teórico ‘chefe’, o empresário chileno radicado no México; nem José Luis Tamargo, exagente de David Villa que chegará como diretor desportivo; e também não Luis Jaime Puebla, o mais que possível diretor-geral da entidade. Mesmo até à colombiana {Dennis} {Colmenares}, teoricamente no plantel/elenco que trabalhou no {Avilés} durante pelo menos o último ano e do qual não têm saído excessivamente contentes. Nem eles nem com os que conviveram nos {útimos} tempos.

¿Como vai-se a gerir tudo? ¿E os cinco futebolistas que o próprio Doblas confirmou, todos eles do {Avilés}, como vão a encaixar com José María Rebollo à frente? ¿Trarão também outro treinador? Puebla e Tamargo estiveram em {Pueblonuevo} do Guadiana vendo ao vivo o 0-4. No plantel há inquietude. ¿Terá baixas em plena revolução? Tudo pode acontecer, se pensa, tanto/golo em este como no resto de incógnitas que se têm suscitado. Os antecedentes e o acontecido durante o verão fazem que a cautela seja o denominador comum nestes momentos.

As redes sociais se têm nutrido de comentários e os interrogantes estão à ordem do dia. Os antecedentes, com os problemas que houve em Asturias, deram pé a tudo tipo de comentários especulativos.

Há aqueles que também dizem que a operação será boa. “Se têm gastado 500.000 euros no {Avilés}», diz o próprio Doblas, quem acredita que os novos inquilinos do Príncipe Felipe são de fiar, algo substancialmente diferente ao que seguem/continuam proclamando pessoas como José Ramón Cañedo, exadministrador geral do clube asturiano, quem os apelida de «burlões» e tem estabelecido uma particular cruzada contra eles.

Doblas seguiria/continuaria no máximo acionista, em princípio, embora isto também teria que explicar-se publicamente. Ou, pelo menos, em que percentagem continuaria e inclusivamente se tivesse opção de compra ou outras fórmulas, como as que puseram-se em marcha no {Avilés}, criando outra sociedade.

Chegariam desde o {Avilés} o avançado/ponta de lança Alex García (23 anos), com passado no Sporting B e segundo plantel/elenco no Levante; o extremo Quadros/Marcos Torres (24 anos), ex do Celta B e A {Hoya} Lorca; o também ponta Luismi (25 anos), antes em Ourense, Pontevedra ou {Choco}; o defesa esquerdo Delgado (26 anos), lateral esquerdo, ex de Racing B, {Barakaldo}, {Amorebieta} ou {Leioa} e o também defesa {Keko} (20 anos), ex do Atritos, para além do próprio {Avilés}.

Pelo menos sobre/em relação a o papel, o futebolista de mais cartaz que pudesse assinar o Cacereño seria o mexicano César Villaluz, interior direito de 29 anos internacional absoluto com seu país que tem militado em vários dos melhores clubes de México. O último foi o {Celaya}, mas antes esteve em {Chiapas} em várias etapas, São Luis, Tigres e inclusivamente o Cruz Azul, com o que começou a jogar na máxima categoria/escalão e no qual apontou tão alto que debutou com a seleção com apenas 20 anos.

Villaluz tinha sobre/em relação a a mesa dois opções em Espanha: o Burgos e o Cacereño, e através de {IQ} Finanças se inclinaria pelo clube extremenho, embora isto teria de concretizar-se.

Enquanto, a equipa quer {asislarse} tudo o possível e concentrar-se no {quehacer} diário/jornal. O grande trabalho realizado em {Pueblonuevo} do Guadiana tem enchido de confiança ao grupo e ao próprio treinador, que segue/continua convencido de poder/conseguir lutar por estar no mais alto no fim da competição.

O homem na moda ou, mais bem, o futebolista do momento continua a ser o extremo {Viñuela}, autor de dois tantos no último encontro e, além disso, sendo o melhor no anterior perante o Olivença em casa (0-0).

O próximo jogo/partido será perante o Arroyo de Javier Moreno no domingo (12.00 horas, Príncipe Felipe). Mas antes temos de resolver muitos interrogantes.

As notícias mais...