Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 22 de novembro de 2017

O Diocesano se dá sua primeira grande alegria

O Azuaga cai em Cáceres num encontro no qual os {colegiales} foram sempre muito práticos

MIGUEL LÁZARO CÁCERES
11/09/2017

 

El Diocesano se concedió su primera alegría en {Tercera} a costa del Azuaga (2-1) num jogo/partido no qual os locais deram um passo notablemente para diante, sacudindo's o excesso de respeito exibido nas dois primeiras jornadas e crescendo em confiança, à par que esta plantel/quadro jovem começa a pegar/apanhar tábuas para jogar nesta categoria/escalão. El exigente calendário não é um aliado, mas ontem demonstraram que também têm recursos suficientes para fazer-se um vazio no grupo XIV, embora o que esteja diante seja uma equipa do cachê do Azuaga.

Durante os primeiros minutos, foi o Diocesano o que levou a iniciativa. Os de Miguel Ángel Ávila dispuseram da primeira oportunidade com Jaime, que com uma {cabalgada} se plantou em linha de fundo, centrou e Fontes falhou ao tentar {despejar} na saída, enquanto Ismael, numa posição idealizadora, não chegou a fazer-se com o couro ao não esperar o erro.

El Azuaga foi impondo sua veteranice e encadeou dois oportunidades seguidas/continuadas. Primeiro com um disparo de Mario Tomé que tirou {magistralmente} Miguel, que se estreava no onze em perjuízo/dano de Contorna, o escolhido por Ávila nos dois primeiros encontros. Após o pontapé de canto, de novo Miguel interveio com reflexos para evitar 0-1 quando já o cantavam os visitantes.

Mas o conjunto/clube cacerenho não cessou em seu trabalho e por volta das a média hora, o fruto chegou numa assistência por alto sobre/em relação a José Antonio, que com um controlo muito preciso, se a colocou perante Fontes ao que bateu. Com o 1-0, o {Dioce} encontrava-se numa situação até à data inovadora: ir adiante e liderar um jogo/partido.

Na segunda metade, o conjunto/clube {azuagueño} se esticou para procurar o golo. {Desenmascaradamente} se fez com a posse e pelo contrário estava disposta a assumir certos riscos. No 60, uma {cándida} perda de bola quase esteve de custar-lhe aos {colegiales} o empate, mas no remate final, Monte {echó} a bola fora.

El empenho ofendido visitante debilitava a linha de atrás e nestas, o Diocesano avisou com rematar o jogo/partido. Em primeiro lugar foi em tiro de Jaime e posteriormente o que não perdoaria seria Ismael no 64, que só/sozinho teve que empurrar à rede uma ação {tejida} por Javier Riaño. {Juande} e o Javier Riaño se gostavam numa ação de quilates que acabou com um sapatada do nove local.

El Azuaga não estava disposto a render-se e Jesús Bono {empalmó} um disparo ao que não pôde chegar Miguel ({min}. 77, 2-1). E no 89 teve tentativa que cruzou a porta local e que esteve muito perto de amargar a primeira alegria do Diocesano em Terceira.

Diocesano 2

Azuaga 1

3Goles: 1-0: José Antonio. 2-0: {min}. 69, Ismael. 2-1: {min}. 77, Jesús Bono.

3Árbitro: Pablo Gargantilla Fernández. Admoestou por parte local a José Antonio e ao visitante {Perla}.

3Estadio: Manuel Sánchez Delgado.

3Espectadores: 350.

3Diocesano: Miguel, Leo, Isaac, Adrián, Sergio, {Nuno}, Jaime ({Juande}, {min}. 67), José Antonio, Javier, Ismael (Tete, {min}. 70) e Mario Vecino ({Colo}, {min}. 84).

3Azuaga: Fontes, {Perla}, Pablo Mogollón, Enrique, {Neftalí}, Isaac, {Pildo} (Francis, {min}. 46), Mario Tomé, {Óscar} ({Quique} {Roldán}, {min}. 46), {Moraga} e Jesús Bono.

As notícias mais...