Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 5 de dezembro de 2019

David Rocha, uma década depois

O médio cacerenho reconhece que jogará um jogo/partido especial no sábado perante suas pessoas

RODRIGO MORÁN
19/07/2019

 

Dez anos dão para muito. Que se o digam a David Rocha. Almería, {Tarragona}, Oviedo, {Houston}, Albacete e, agora, Almendralejo foram suas casas na última década. Sem esquecer a primeira e, para ele, a mais importante: Cáceres. Faz tão somente uns dias se cumpriam dez anos do heroica promoção do Cacereño em Canárias perante o {Tenisca}. Foi, muito possivelmente, o momento de mais {conectividad} entre a bancada do Príncipe Felipe e seu plantel/elenco nos últimos anos. Nesse pelotão de heróis comandados por Ángel Alcázar estava Rocha, santo-e-senha daquele plantel/elenco. Amanhã voltará a pisar o verde de Cáceres com a t-shirt do Extremadura. A seus 34 anos se mantém fino e motivado para outro repto/objetivo no futebol profissional, o mais próximo a seu casa. «Oxalá possa jogar o jogo/partido porque me faz muita ilusão/motivação. Há muita gente de Cáceres que segue/continua ao Extremadura», diz Rocha, dúvida por um golpe no pé.

Não esquece Rocha a suas pessoas nem aqueles maravilhosos momentos e deseja que possam acontecer de novo em Cáceres: «Neste ano parece que estão a fazer as coisas bem. Primeiro têm assinado a um grande treinador (Julio Cobos) e amigo, que é um medida certa. E depois estão renovando aos melhores e selecionando bem as contratações. É importante que possam ser campeões de grupo. Cáceres se merece ter uma época de tranquilidade no futebol e {enganchar} à pessoas. Vejo muita distância entre as pessoas e o clube. O ideal é essa comunhão que pudemos criar nós quando Alcázar era treinador e {subimos} a Segunda B».

Rocha vive com felicidade e ilusão/motivação esta nova etapa em Almendralejo e considera chave fazer uma boa pré-época «porque é fundamental começar bem e começar a ganhar rápido confiança na liga».

O médio cacerenho está contente/satisfeito com seu possível {rol} no plantel/elenco de meio centralismo, apontando a que se sente cómodo tanto/golo à frente de a defesa, como de casal/par no meio centralismo, bem como de volante numa medular de três: «o importante é saber {amoldarse} ao que pede o míster e ser útil ao plantel/elenco».

Rocha, que viverá de início em Cáceres, se concentrou ontem no Hotel {Vetonia} de Almendralejo junto a toda a equipa onde estarão oito dias. «A mim, particularmente, estas coisas me gostam muito. Vêm muito bem para criar vínculos e conexões com os companheiros. Te permitem ter momentos de conversa, tomar café e essas coisas que logo são mais difíceis quando começa o ano».

Mercado / Por outro lado, o Extremadura segue/continua sondando o mercado à procura de reforços. Nas últimas horas têm soado com força três nomes {canteranos} do Atlético de Madrid: {Óscar} Rodríguez ‘{Pinchi}’ (extremo), Cristian Rodríguez (meio centralismo) e Víctor Mollejo (avançado/ponta de lança). O primeiro deles, {Pinchi}, esteve alistado na pedreira/formação do Desportivo da Corunha e é bastante conhecido por Manuel.

As notícias mais...