Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 27 de abril de 2018

Carlos Sainz e Joan Barreda agarram-se a as suas possibilidades de conseguir o triunfo

O madrileno luta contra os problemas para tentar alcançar a {Peterhansel}

EMILIO PÉREZ DE ROZAS BARCELONA
11/01/2018

 

O {Dakar}-2018 ainda não cumpriu sua primeira semana e já se ficou sem boa parte dos favoritos. Se na terça-feira passada caiu seriamente lesionado o britânico {Sam} {Sunderland} ({KTM}), campeão em motas o ano passado, ontem ficou afundado num enorme buraco nas dunas o francês {Sébastien} {Loeb} (Peugeot), sem dúvida o homem que mais entusiasmo tinha por ganhar um dos {poquísimos} troféus importantes que lhe faltam em seu {brillantísima} corrida/curso desportiva.

A etapa, muito dura, sobre/em relação a dunas muito macias e de perfis muito confusos, dificílimos de ler pelos pilotos, foi ganhada, como não, por {Stéphane} {Peterhansel} (Peugeot), possuidor de 13 troféus (seis em mota e sete em carros), que se mantém como líder das quatro rodas, agora perseguido pelo madrileno Carlos Sainz (Peugeot), que está a meia hora.

«Ao início da etapa encontrámos areia macia e nos temos ficado entupidos nove minutos», contou Sainz. «Mais à frente, filmando muito devagar num leito de um rio seco temos semicapotado ficando o carro apoiado sobre/em relação a meu lado, tendo que esperar a que chegassem quatro participantes em mota para poder/conseguir-nos tirar. Quero agradecer-los o gesto que têm tido detendo-se para ajudar-nos para pôr o carro em pé. Temos terminado com o parabrisas quebrado, com o qual tínhamos muito má visão».

Em motas, o piloto {castellonense} Joan Barreda (Honda) conseguiu vencer neste quinto dia e reduzir a desvantagem do líder, o francês {Andrien} Vão {Beveren} (Yamaha), a 7.33 minutos.

As notícias mais...