+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Cacereño: dia 1 até o ‘{playoff}’

O conjunto/clube verde volta aos treinos após 86 dias sem pisar o relva do Príncipe Felipe

 

Los dois grupos de estreitamente do Cacereño, sobre/em relação a o relva do estádio. - J. J. T./ {CP} CACEREÑO

Jogadores da segunda sessão se dispõem a iniciar/dar início o treino. -

JAIME J. TORBELLINO
09/06/2020

Dois turnos, o primeiro às 9.30 da manhã, o segundo uma hora depois. Assim foi a volta aos treinos do Cacereño, seu dia 1 até o {playoff} de promoção a Segunda Divisão B. Pela frente/por diante, 41 dias antes de enfrentar-se ao Coria o 19 de Julho no estádio Romano. A de ontem foi uma sessão (dobro, na verdade) na qual os futebolistas demonstraram sua vontade de voltar e também a prolongada inatividade, quase três meses («mais que nas férias»).

«Subida um pouco/bocado arrancar, mas temos tempo de sobra para pôr-nos em forma», dizia Neto, integrante do primeiro revezo de estreitamente junto a {Bernabé}, Mario Ramón, Rubén, Alberto Delgado, Iván Agudo, {Rodri}, Carlos Andújar, Quadro Torres, {Murci} e Gustavo, que se teve que retirar por uns incómodos. «Foi lesionado, se tem tido que recuperar em casa, que não é o mais adequado, e tem ainda uns incómodos», explicava o treinador Julio Cobos, que espera que a semana que vem, quando os treinos sejam com todos os jogadores juntos, possa incorporar-se ao grupo. «Estes dias vai fazer estreitamente a um ritmo inferior ao de seus companheiros/colegas».

No segundo grupo de estreitamente estavam Jordi Pérez, {Chechu}, {Rentero}, Carlos Fernández, {Javito}, {Borja}, {Ezequiel}, {Álex} García, Carlos Daniel e {Teto}, que, salvo mudança de critério, não poderá jogar a meia-final contra o Coria, seu explantel/elenco, já que tem pendente cumprir um jogo/partido de sanção por acumulação de amarelas.

«Tínhamos muita vontade de voltar», explicou Neto, «o estreitamente em casa não é igual». O guineense acredita que temos de ir aos poucos na preparação, já que pensa, como o treinador, que há tempo suficiente para preparar o {playoff}. «Agora só/sozinho temos de pensar no primeiro jogo/partido, vão ser 90 minutos a morrer. Só/sozinho nos vale ganhar, não podemos especular», diz o jogador, que reconhece que agora será muito importante a parte psicológica. «Fisicamente temos de estar bem, isso é lógico, mas temos de pensar estamos treinando para jogar um jogo/partido e, se {ganamos}, outro. Por isso temos de ter a cabeça muito tranquila, temos de preparar-se bem». «Temos de ter cabeça fria e manejar a situação», acrescenta Cobos na mesma linha. Neto acredita, além disso, que poderão ter a seu hobby/adeptos no Romano. «¿Se os teatros se podem abrir, porque é que não um estádio?», se perguntou.

O Cacereño treinará em dois grupos até ao sexta-feira. O fim-de-semana a equipa descansará e na segunda-feira voltarão a treinar, já todos juntos.