Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 17 de fevereiro de 2020

As contas de {Rodri} saem em positivo

Em só/sozinho sete partidos com o treinador barcelonês no banco, o Extremadura tem somado mais pontos que durante os treze encontros anteriores. A ordem sobre/em relação a o campo, a segurança defensiva e o controlo do jogo foram chaves nesta rajada

RODRIGO MORÁN
07/01/2019

 

Al Extremadura empiezan a {salirle} los números y las cuentas desde la llegada de Antonio Rodríguez ‘{Rodri}’ ao banco do Francisco de la Hera. Com o treinador catalão, o conjunto/clube azul-vermelho tem somado já mais pontos em sete partidos que durante os treze encontros anteriores. Uns números que, se se {confirmaran} num teórico média, deveriam dar para conseguir a manutenção. Embora no futebol, as matemáticas nunca são exatas.

Realizando uma comparativa, antes da chegada de {Rodri} ao banco o Extremadura tinha somado nove pontos em 13 jornadas com um bagagem de 17 golos a favor por 24 contra (-7). A partir da chegada do barcelonês, a equipa tem somado 11 pontos em só/sozinho sete partidos com um balanço positivo em golos: dez a favor e tão somente cinco contra. Além disso, em sete encontros, o Extremadura deixou a baliza a zero em três ocasiões, algo que antes da chegada do treinador não tinha passado nem em Liga nem em Copa del Rey. «Nesta competição é chave deixar a baliza a zero. De nada te serve não ser sólidos em defesa, por muitos golos que {puedas} marcar», argumentava o próprio treinador nada mais acabar o jogo/partido perante o {Alcorcón}.

Estes números de {Rodri} como treinador estão apoiados em várias contribuições do preparador que seus jogadores levaram ao relva quase de maneira exata. Por um lado, a ordem sobre/em relação a o campo. Em nenhum dos sete partidos o novo Extremadura se tem quebrado em momento algum. Para o preparador azul-vermelho é essencial uma medular forte e umas ajudas constantes na hora de tirar a bola, com contínuos apoios e homens perto do esférico para limpar rápido possíveis erros. Aí joga um papel muito importante Fausto Tienza, elementar na posição de seis. O de Talavera é peça chave em sua esquema, embora {Rodri} pediu ter um jogador parecido ao extremenho e por isso o Extremadura olhará muito minuciosamente um pivô defensivo mais no mercado de inverno, possivelmente para ter alternativas.

Outra chave foi a segurança defensiva, não só de a defesa, mas também na baliza. Baixo/sob/debaixo de paus está crescendo a um ritmo vertiginoso o guarda-redes Álvaro Fernández. O {riojano} se mantém muito seguro baixo/sob/debaixo de o quadro e é valente nas saídas. Agora lutará o posto com Casto Espinhosa e a dor de cabeça será para o treinador, quem deverá decidir entre dois grandes {arqueros}, já que o extremenho está muito em forma tal como evidencia nos treinos e conta com sobrada experiência na categoria/escalão.

O terceiro pilar chave é o controlo de partidos. Perante o {Alcorcón} foi o vivo exemplo de como o treinador tem estudado todos os detalhes do jogo. Al Extremadura lhe tinha costado executar a superiodidade numérica em partidos anteriores. De {infausto} lembrança há alguns partidos como a remontada contra do {Elche} em Almendralejo.

No entanto, perante o {Alcorcón}, o Extremadura dominó o jogo/partido sem embaraços. Fez correr ao rival e não se precipitou no ataque com vantagem a favor. Uma leitura de plantel/elenco veterano. «Necessitamos fazer um futebol onde não passarão coisas estranhas», apontou {Rodri}.

{Enric}, feliz

Às contas de {Rodri} temos de somarle os acrescentados de estados de forma como o de {Enric} Galego. O avançado/ponta de lança se tocou o peito até a bancada para agradecer o carinho da pessoas e {despejó} o debate sobre/em relação a seu possível marcha: «eu estou centrado no plantel/elenco. O que tenha que passar, passará, mas agora vivo o dia-a-dia».

{Enric} também falou da madurez da equipa com um jogo/partido face: «temos sabido a todo o momento o que tinha que fazer.

Também aplaude a {Rodri} um que lhe conhece bem como é {Kike} {Márquez}: «o jogador que está um tempo com este treinador, o fica marcado. Tem as ideias muito claras e o melhor é que a equipa acredita nelas». Um exemplo foi o primeiro golo, trabalhado durante toda a semana pelo treinador para fazer aparecer essa jogada. As contas e a ardósia saem. Mas ficam muitas classes ainda.

As notícias mais...