Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 18 de janeiro de 2020

{Ansu} {Fati}, blindado

O Barcelona melhoria por terceira vez em cinco meses a ficha do jovem avançado/ponta de lança de 17 anos. A cláusula sobe até os 170 milhões para fazê-la proibitiva e aumentará a 400 quando seja profissional

JOAN DOMÈNECH deportes@extremadura.elperiodico.com BARCELONA
05/12/2019

 

{Ansu} {Fati} vai pelo caminho de Leo Messi. Pelo menos, em dois vertentes: a precocidade em triunfar e a frequência nas renovações de contrato. O jovem talento azul-vermelho, que no passado 30 de Outubro cumpriu 17 anos e já tinha debutado com o primeiro plantel/elenco do Barça, acaba de assinar um novo acordo/compromisso com o clube, apesar de que já o tinha alargado no passado verão. Duas vezes, uma em Julho e outra em setembro. Agora, chegado o inverno, recebe outro reconhecimento com um terceiro redigido que, básicamente, muda as condições económicas. Melhorando-as e {blindando} sua continuidade.

O contrato de {Fati} tinha vigência até ao 2022 e era ampliável por dois épocas mais (2024). A cláusula era de 100 milhões de euros. O novo vê aumentada a cláusula até os 170 milhões, com a intenção de que seja uma quantidade/quantia proibitiva para qualquer clube do mundo. Embora nas últimas campanhas se tenham transferido várias vezes a taxa dos 100 milhões para contratar a um jogador. O Barça, em particular, o fez em três ocasiões: por {Dembélé} (105 mais 40 em variáveis), {Coutinho} (120 mais 40 em variáveis) e {Griezmann} (120+15 em opções de estimativa).

Em vistas de que se tem tido que adequar o valor económico de {Fati} a sua progressão desportiva e ao medo que causa que alguém possa {llevárselo}, se tem estabelecido já a cláusula para quando firme/assine um contrato profissional: 400 milhões. Ainda não há data para esse futuro documento nem constam as condições económicas da ficha, que também se tem incrementado nesta visita às escritórios do clube.

Embora o avançado/ponta de lança de {Guinea} {Bissau} perdeu protagonismo no primeiro plantel/elenco nas últimas semanas, com a recuperação dos lesionados, o Barça não perdeu a confiança em {Fati}. Nem a fé em que possa ser o {Lionel} Messi do futuro –ou algo parecido–, também no plano futebolístico. Messi acaba de ganhar o sexto Bola de Ouro, um marco único.

Os inícios de {Fati} foram igualmente vertiginosos como os do admirado argentino. Jogou seis dos sete primeiros partidos (sem acabar nenhum) e marcou dois golos. Uma lesão lhe afastou da circulação/trânsito. Desde então, só/sozinho houve cinco aparecimentos.

Foto com {Bartomeu}

Pelo menos, {Fati}, em sua terceira fotografia assinando um contrato, já tem pousado com Josep Maria Bartomeu, o presidente. Nas anteriores, aparecia com {Silvio} {Elías}, o máximo responsável do futebol base. Os dois se retrataram ontem com o avançado/ponta de lança africano no gabinete presidencial, resumindo a condição federativa que ainda tem {Fati}: tem licença juvenil, sem ocupar nenhuma das 22 do Barça B, e nenhuma do primeiro plantel/elenco, plenamente disponível para estar com os profissionais e poder/conseguir regressar às {categoríoas} inferiores se lhe necessitam. O que não se produziu. Nem se contempla que se que produza. A ideia é que {Valverde} tutele sua progressão.

O outro fio de relação com Messi reside na identidade do representante de {Fati}: é Rodrigo, o irmão de Leo.

As notícias mais...