Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 3 de abril de 2020

Os adiamentos ganham às portas fechadas

Não terá Segunda B, Terceira, LEB Oro, Liga Feminina nem {Judex} em pelo menos duas semanas

JAVIER ORTIZ
12/03/2020

 

Como a própria situação de Espanha, que parece ter passado da passividade ao histerismo em apenas 48 horas, o desporto espanhol e como consequência o extremenho também tem {mutado} num {lapso} escasso de tempo em sua resposta ao coronavirus. O que na terça-feira foi a decisão de disputar à porta fechada a maior/velho parte das competições, fossem profissionais ou não profissionais, masculinas ou femininas, mudou ontem a uma {oleda} de adiamentos em diferentes disciplinas desportivas.

Por agora --e pode que isto seja só/sozinho questão de horas--, apenas suporta a decisão inicial de jogar sem público a Primeira e a Segunda Divisão de futebol, com o Extremadura implicado nesta última no seu partido em {Elche}. Esta manhã terá uma reunião chave para unir-se à corrente geral de suspensões. Também as ligas de voleibol/vólei (com quatro representantes extremenhos nas dois Superligas 2) conservam a medida de não deixar aceder ao público.

Todos os demais torneios foram caindo durante o dia à pressão dos clubes protagonistas, que primeiro argumentavam problemas de saúde que podiam sofrer os desportistas e depois, embora mais em voz baixa, se lamentavam dos prejuízos económicos que lhes ocasionariam jogar sem poder/conseguir fazer bilheteira.

A batalha ganhada na quarta-feira a iniciou o futebol chamado ‘não profissional’, embora seus protagonistas sim o sejam. Equipas de Segunda B como o Mérida e o Badajoz, que iam a enfrentar num deserto estádio Romano no próximo domingo --em lugar de fazê-lo perante, se calhar, 10.000 espectadores--, pressionaram à brava. Ao início a Federação Extremenha de Futebol se resistiu, apontando a que tratava-se de um mandato das autoridades sanitárias, mas depois acabou cedendo. Não somente fê-lo com a Segunda B, mas também com a Terceira, onde também tinha sentado como um murro na mandíbula ter que jogar à porta fechada as duas próximas jornadas.

A promessa é que, como seja, se procurarão datas para recuperar estes dois fins-de-semana nos que não se jogará, em princípio, embora ninguém pode prever qual será a situação dentro de 14 dias com o vírus e sua propagação. No caso do grupo XIV extremenho, não será simples porque a maior/velho parte de seus futebolistas têm outros trabalhos e lhes custará disputar partidos entre semana, mas assim terá que ser se se quer ir {cuadrando} as datas e chegar a tempo às fases de promoção e manutenção.

A Federação Extremenha também suspendeu as competições que organiza, como as duas de categoria/escalão sénior que estão abaixo da Terceira e as de {Judex}, algo que fizeram basquetebol e andebol. Estranhíssimo ou diretamente impossível será ver um jogo/partido de meninos de qualquer desporto na comunidade até entrado Abril.

A CIRCULAR DA JUNTA / Determinante foi um comunicado da direção geral de Desportos da Junta às federações no qual recomendava «o adiamento cautelar inicial de quinze dias dos eventos desportivos de carácter autonómico, em especial aqueles que careçam de implicação classificadora».

«No caso de que os eventos desportivos suponham uma concentração superior às 1.000 pessoas, a recomendação se converterá em suspensão com carácter geral», acrescentava.

Para as competições de âmbito estatal e internacional se remetia à diretrizes do Conselho Superior de Desportos às respetivas federações nacionais.

OS DEMAIS DESPORTOS / O próprio basquetebol das ligas superiores apresentou durante o dia a dúvida de se também adiaria tudo o programa. Tardou muito, mas finalmente fê-lo. Primeiro foram as competições organizadas pela Federação Espanhola, que incluem quatro extremenhos: o Cáceres Património da Humanidade --que ia a receber/acolher amanhã a Lleida na LEB Oro--, o Nissan Al-Qázeres --que ia fazer o mesmo no sábado ao {Ensino} Lugo na Liga Feminina Endesa--, o Torta del Casar e o {Adepla}, estes dois últimos da Liga {EBA} aos que lhes correspondia medir-se respetivamente a Almería (fora) e {Martos} (casa). Também não terá futsal, râguebi nem o Campeonato de Espanha de motocrosse que ia ser em Malpartida de Cáceres.

Estranha o que acontece com o voleibol/vólei, mas não se pode descartar que finalmente tenha marcha atrás e que não joguem nem Arroyo na Superliga 2 feminina nem Cáceres, De Badajoz e Grupo {Otero} na masculina.

As notícias mais...