Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 19 de junho de 2018

‘{Match}-{ball}’ do Plasencia perante o filial do {Baskonia}

ABEL HERNÁNDEZ PLASENCIA
13/01/2018

 

«Estamos perante nosso primeiro {match}-{ball}». Assim definiu ontem Carlos Díaz, o treinador do Extremadura Plasencia seu jogo/partido desta tarde (18.30 horas) na Bomboneira perante o {Baskonia}. Os bascos são uma equipa que ainda não conhece o que é ganhar fora de seu território. Suas quatro vitórias as conseguiu ao abrigo de seu hobby/adeptos, uma delas precisamente perante os de Plasencia na segunda jornada (85-83 na prorrogação.

Daí a importância não só de vencer para os de Díaz, mas além disso {enjugar} esse mínimo {basket} {average} já que o {Baskonia} hoje em dia é um rival direto na luta por evitar os postos de descida/desmpromoção. «Temos o {playoff} tão só a dois vitórias. Somos conscientes da responsabilidade que temos pela frente/por diante», destaca o treinador, contente/satisfeito por ter praticamente vazia a enfermaria, confirmado o regresso de {Seydou} {Aboubacar}, embora Alejandro Galán é dúvida. «A Navarra {llegamos} em quadro e com as duas incorporações praticamente sem treinar. Agora as lesões parece que as vamos esquecendo e temos mais possibilidades de estar melhor», prevê.

Precisamente sobre/em relação a Rafa Casanova e Michael Mendes falou o treinador. «Rafa se nota que está em dinâmica de competição. É um jogador que não destaca especialmente em nada, mas que tudo o que faz bem. Nos dá muito equilíbrio». Do cabo-verdiano indicou que «lhe vai custar um pouco/bocado mais a adaptação e se lhe nota sobretudo em defesa. Em Pamplona perante as baixas saiu no quinteto inicial, já que não tinha ninguém mais». Precisamente desse jogo/partido lhe incomodou que perante as ausências seu plantel/elenco se calhar mostrou-se «demasiado conservador, com medo a carregar-se de faltas».

Do rival advertiu que «é a equipa que mais mudou em relação à primeira volta. Agora é mais equilibrado e foi capaz de ganhar a {Morón}». O máximo anotador do {Baskonia} é o {letón} {Kristaps} {Glutidis}, embora seu melhor valorizado é seu compatriota {Arturs} {Kurucs}, base. Destacam também o estónio {Sander} {Raieste} e Miguel González.

As notícias mais...