+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Uma cacerenha em Miss Mundo

{Susana} Maioral, estudante de Direito de 20 anos, representará à província na gala que celebra em Julho o certame de beleza em Espanha

 

Na passarela 8 A cacerenha {Susana} Maioral de {Tena}. - EMILIO GARCÍA PHOTOGRAPHY

GEMA GUERRA
09/06/2020

La belleza se adapta a los tiempos. E nestes, entre os contínuas mudanças e uma crise sanitária que tem paralisado o planeta, a cacerenha {Susana} Maioral de {Tena} segue/continua seu caminho para conseguir o grupo de Miss Mundo Espanha. La jovem de 20 anos, filha da cantora extremenha Carmen Tena e sobrinha do cantor de flamenco Miguel de Tena, representará à província no certame que se celebra em Julho em {Oropesa} do Mar.

Já tem tábuas neste mundo. Este não é seu primeiro concurso. Na moda arrancou a uma idade precoce, os 15, e confessa que lhe serviu como ferramenta para fazer frente ao bullying que sofria no instituto/liceu. «Me acordo como se fora ontem, eu não saía de casa, nem a jogar, saiu um concurso em Cáceres e quando {llamé} era menor por isso teve que pedir autorização a minha mãe, {armé} um barulho só/sozinho para apontar-me, minha mãe foi a verme, logo me {presenté} a outro e {gané} e depois a Miss Cáceres», relata. Assim tem encaminhado seu caminho pela passarela.

Agora concilia este universo com seus estudos de Direito e Administração e Gestão Pública na faculdade de Direito mas o que quer é concorrer para inspetora de Policía Nacional. «Sempre me gostaram as leis e a causa de o que me passou com o bullying não queria que a ninguém lhe passasse nada mau». Em qualquer caso sustenta que gostaria de compatibilizar ambas trajetórias em sua vida. «Nunca pensei chegar onde cheguei, a mim os concursos me têm ajudado muitíssimo e não gostaria deixá-lo, este mundo requer muita constância, agora temos tirado as provas em tempo recorde entre os exames da universidade».

Competirá com outras 51 concorrentes e todas terão que passar diferentes provas, entre elas, teste de talento, de top {model}, físico e um projeto social, uma das modalidades que se têm incluído nos últimos anos. Ela escolheu falar sobre/em relação a o {Asperger}. Sobre/em relação a se os certames de beleza se têm renovado e têm ido derrubando estereótipos, a cacerenha está convencida de que sim. «Desde/a partir de meu ponto de vista tem ido evoluindo e vários aspetos se têm ido deixando atrás, já se tem retirado a prova de trouxe de banho, em lugar de valorizar teu físico, se valoriza teu atitude e se procura uma pessoa mais completa que não só/sozinho seja um físico nem uma cara bonita mas tenha uns valores e umas capacidades». Quanto às aspirações de ganhar, põe todas suas cartas sobre/em relação a a mesa. «Se não vais consciencializada de que podes consegui-lo, não o farás, primeiro nos o temos que acreditar/achar {nosotras} e assim fazer acreditar em os demais, vamos a pôr-lhe toda a vontade», conclui.