+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Um {Corpus} diferente e liberdade às paróquias para fixar as {comuniones}

O 26 de Junho terá em Coria-Cáceres um funeral pela pandemia

 

LOLA LUCEÑO
09/06/2020

A Diocese de Coria-Cáceres encontra-se já em plena {desescalada}. Os templos voltam aos poucos a uma certa normalidade e por estas circunstâncias se abre a porta a encontros que tinham ficado suspendidos, impensáveis faz um mês. As {comuniones} som um tema especialmente {trascendente}, dado que cada ano recebem este sacramento mais de 1.400 meninos da diocese, cujas famílias têm adiado todos os preparativos. Pois bem, na recente reunião de 5 de Junho do administrador diocesano, Diego Zambrano, com seu plantel/elenco de delegados, se tem determinado que, uma vez concluído o Estado de Alarma, cada pároco fixe a data que estime mais conveniente juntamente com o conselho pastoral, os {catequistas} e os pais.

«Far-se-á assim para atender as diferentes circunstâncias de cada paróquia. As há com poucos meninos e outras com muitos, sobretudo nos núcleos urbanos. A maioria se supõe que se adiarão para setembro, mas cada paróquia determinará a data mais adequada», explica Jesús Moreno, delegado do administrador da diocese. Por seu lado, as confirmações se ajustarão aos dias disponíveis em comunicação com o bispado. Em todas estas eucaristias sacramentais se aplicarão as medidas de prevenção da Conferência Episcopal Espanhola.

Entretanto, a celebração mais imediata terá lugar no domingo, 14 de Junho. Trata-se a Solenidade do {Corpus} {Christi}, cuja cerimónia mais simbólica começará às 13.00 horas em Santa María, presidida pelo administrador diocesano. Ao finalizar, se levará {procesionalmente} o Santíssimo à capela do Sacrário e se dará a bênção eucarística. Neste ano não se organizará a procissão dos meninos de Primeira Comunhão pelo centro histórico devido à pandemia. Trata-se de um costume iniciado até os anos 40. Em séculos passados, estão documentadas as danças do {Corpus}.

A PESTE, O CÓLERA... / Esta simbólica festa, entre as mais grandes da Igreja, parece que somente foi suspendida durante a peste {bubónica} do século XVII, a epidemia de cólera encanto de 1834-1835 e 1854-1855, e a gripe espanhola de 1918, segundo dados doutras diocese extrapolados pela de Coria-Cáceres. O {covid} não obrigará a suprimir o {Corpus}, mas Santa María deverá limitar sua lotação até umas 60 pessoas a fim de manter as distâncias. No resto de paróquias se aplicarão os critérios do lotação ao 75% (fase 3).

Por outro lado, a concatedral também acolherá a Missa {Crismal} o 28 de Junho (19.30), presidida por {Ciriaco} Benavente Mateos, Bispo emérito de Albacete e anteriormente bispo de Cáceres.

Dois dias antes, o 26 de Junho, a Diocese de Coria-Cáceres organizará em todas as paróquias uma ‘Jornada pelos afetados da pandemia’, na qual se pedirá pelo eterno descanso/intervalo dos defuntos e o consolo de seus familiares. A concatedral iniciará dito funeral às 20.30. Nestas eucaristias se dará obrigado/obrigada pelo estreitamente de numerosas pessoas nos dias mais duros, se rogará pelos anciãos e as residências, e também pela superação da crise.