+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Salaya oferece facilidades aos moradores para mudar as tubagens com chumbo

Afetados pagarão a acometida mas lhes propõem descontos nas taxas e agilizar prazos. O bairro decidirá numa assembleia se acolhem a esta opção ou à via judicial

 

Uma vizinha do centro histórico se serve água do torneira de seu domicílio. - O {PERIÓDCIO}

GEMA GUERRA epextremadura@elperoidico.com CÁCERES
11/03/2020

A Câmara Municipal oferecerá facilidades aos moradores para que mudem as tubagens com chumbo. Serão os residentes os que terão que custear a substituição das acometidas, mas em troca a câmara municipal porpõe um desconto nas taxas municipais e agilizar os prazos e as gestões com a empresa concessionária da rede de abastecimento, Canal de Isabel II. Esta é a proposta que pôs sobre a mesa esta terça-feira aos residentes do centro histórico Luis Salaya na primeira reunião que manteve como presidente da Câmara Municipal com representantes da Associação De vizinhos Cidade Monumental para abordar a problemática da rede de água no bairro.

Assim, os moradores decidirão na próxima assembleia da associação de moradores se se acolhem a esta opção ou se finalmente optam pela via judicial para que seja a justiça que esclareça a competência das acometidas. Por seu lado, moradores se acolhem a um real decreto 140/2003 pelo que se estabelecem os critérios sanitários da qualidade da água de consumo humano para defender que era competência da Câmara Municipal retirar as tubagens com chumbo antes de 2012, não obstante, a câmara municipal se ampara na regulamento municipal mais recente que estabelece que os usuários são os responsáveis da rede.

Em qualquer caso, fontes do coletivo de vizinhos valorizaram a «sensibilidade» e a diligência dos representantes municipais para procurar uma solução e asseguraram que Salaya manifestou também seu compromisso para consciencializar não só ao centro histórico mas a toda a cidade para que revejam se na sua rede de abastecimento há presença de chumbo e assim poder atuar para a sua retirada.

Cabe lembrar que o governo de Elena Nevado também apresentou aos moradores uma proposta similar à que apresenta Salaya e a Câmara Municipal propôs criar uma linha de ajudas para financiar os custos da mudança na rede. Foi em 2018 quando um morador detetou presença do metal, catalogado como muito tóxico pela Organização Mundial da Saúde, na água de seu domicílio. Desde então centenas de moradores denunciaram uma situação similar.