Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 25 de janeiro de 2020

El PP resgata a rotunda de Ponte/feriado {Vadillo} para que a financie a Junta

Los populares levam a plenário/pleno a proposta perante o aumento do trânsito na zona. Entendem que isto facilitará também a saída aos vizinhos/moradores de Urbanização Universidade

EUROPA PRESS caceres@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
14/01/2020

 

El grupo municipal do PP no Ayuntamiento de Cáceres apresentará ao plenário/pleno ordinário do próxima quinta-feira uma moção na qual solicita à Junta de Extremadura que acometa a conexão desde/a partir de a rotunda do Urbanização Universidade contemplada no projeto das obras da Ronda Suleste, até ao cruzamento com Ronda de Ponte/feriado {Vadillo}, e que, neste ponto, se construa uma rotunda para melhorar as condições de segurança.

Segundo se recorda no texto da moção, na atualidade a Junta está acometendo a primeira fase da Ronda Suleste em cuja obra se têm contemplado um total de cinco rotundas que ligam esta variante com diferentes pontos da cidade.

Uma das saídas, nomeadamente na rotunda de conexão com o Urbanização Universidade, a saída até a cidade seria através do conhecido como ‘caminho de Cáceres a Sierra de Fuentes’, que na atualidade «é o mais utilizado pelos vizinhos/moradores do Urbanização Universidade para chegar ao centro da cidade».

Este caminho está alcatroado e, atualmente, consta de «um só/sozinho faixa de rodagem, sem pintar, sem acerado, e sem iluminação», recolhe/expressa a moção dos populares, que consideram que esta circunstância «implica um perigo para o grande número de usuários que cada dia transitam por ali, pela situação favorável de proximidade com o centro da cidade e por conetar com uma da vias mais transitadas e utilizadas da cidade, como é a Ronda Ponte/feriado de {Vadillo}».

AUMENTO DO TRÂNSITO // Além disso, o PP considera que «é previsível» que uma vez a Ronda Suleste entre em serviço, a afluência de trânsito a dito caminho seja «muito maior/velho», dado que a rotunda do Urbanização Universidade se converterá na saída natural não somente para os vizinhos/moradores do urbanização, mas também para os de São Blas e a parte antiga.

«Uma situação que implicaria um grande risco aos usuários, dado que ao dobrar-se o número, aumentaria o número de veículos sem ter espaço suficiente, ao tratar-se de um só/sozinho faixa de rodagem e, portanto, se produziria um grande número de retenções, sinistros, e perigos maiores/ancianidade», recolhe/expressa o texto.

Além disso, ao tratar-se duma via sem acerado para peões e que também não conta com iluminação, «a falta de segurança que já existe se multiplicaria provocando situações que temos que prever e evitar antes de que aconteçam», tem apontado o PP.

As notícias mais...