Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 18 de janeiro de 2018

Nevado apresenta a melhoria de dados económicos como aval da gestão de seu governo

Destaca a redução da dívida da Câmara Municipal, que se tenham tirado uns novos orçamentos apesar de estar em minoria e o incremento de licenças de atividades e obras

JOSÉ LUIS BERMEJO
11/01/2018

 

La presidenta da Câmara Municipal, Elena Nevado, apresentou ontem a melhoria de resultados económicos como um aval da gestão do governo municipal. Foi aos primeiros dados aos que foi no balanço que fez de 2017 junto aos dez vereadores do PP que desempenham as tarefas de governo. Entre os anúncios que realizou destacam três: os contactos que se mantêm com uma produtora para um possível novo rodagem duma série, a intenção de ceder chão gratuito a empresas que gerem emprego e o reordenamento da Ribeira com a modificação do plano de urbanismo que se está tramitando para acondicionar esta norma ao traçado da ronda este. O que não revelou é se quer continuar na Câmara Municipal repetindo como candidata à presidência da câmara municipal nas eleições de Maio de 2019.

Recorreu a dois tipos de dados. Os primeiros são internos. Assim destacou que o remanescente de tesouraria para despesas gerais passou em cinco anos de estar em números vermelhos a um resultado positivo de 7 milhões. Este dado é o que permite o saldo positivo do segundo resultado que citou: o corte da dívida por operações pendentes de aplicar ao orçamento, capítulo que durante anos foi um lastre para os cofres locais. Esta dívida, segundo as quantidades/quantias expostas ontem, se tem recortado em nove milhões nos últimos cinco anos. Agora está em 3,8 milhões. Faz uma década, quando se aprovou o plano de saneamento de 2009, ascendia a 27 milhões de euros.

Estes resultados não implicam que agora se conte com um excesso de crédito que permita enfrentar novas despesas extraordinárias no orçamento presente e em vindouros, mas vai-se pondo ordem/disposição nas arcas locais após a carga/carrega que tem suposto o pagamento milionário de expropriações durante as duas últimas décadas.

LICENÇAS / Os segundos dados são externos. Aqui referiu-se à descida do número de desempregados (295 menos no último ano), às licenças de atividade tramitadas na Câmara Municipal (155) e às autorizações de obras e processos de urbanismo (2.153, entre estes há 287 para obras maiores/ancianidade e 1.395 para menores).

No balanço económico também destacou que um ano mais se conseguiram aprovar os orçamentos apesar de governar em minoria e a política de descida de impostos. Estas dois questões também estão relacionadas com os contactos que se mantiveram com Ciudadanos durante o último quadrimestre de 2017, umas negociações que permitiram tirar adiante o orçamento de 2018 e que se acordasse uma diminui fiscal maior que a prevista inicialmente pelo governo.

Outro afastado que destacou foi o dos fundos europeus (mais de 16 milhões) com projetos que se começaram a tramitar em 2017 e com obras que se iniciarão em 2018.

As notícias mais...