Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 21 de septembro de 2018

A Laboral regressa ao futuro

Os conservatórios de música e dança, e o {CPR}, se unirão a ESO, FP, Ensino secundário e a residência. Uma injeção de 15 milhões de {€} prevê aproveitar as opções deste colosso e recuperar sua atividade

LOLA LUCEÑO
10/06/2018

 

Aquí não há chaves. Nunca se fecha. Estamos abertos as 24 horas os 365 dias do ano». São palavras do diretor da Universidade Laboral, Andrés Talavero, que evidenciam a envergadura do maior centro educativo de Cáceres, cujas 8 hectares e 30.000 metros quadrados de edificações excedem com muito a média dos recintos docentes do país. A Laboral, que o ano passado cumpriu meio século, sempre foi maiúscula chegando aos 5.000 alunos por curso de muito diferentes disciplinas, incluídas as universitárias. Após uns anos nos que se tem demonstrado a dificuldade de manter semelhantes instalações com menos alunos, fruto dos novos sistemas e programas educativos, um investimento de 15 milhões de euros pretende consolidar o recinto, reformarlo e dotá-lo de novos contidos. A Laboral volta a planificar à grande.

Sempre foi um complexo avançado, à vanguarda em suas dotações e em seus ensinamentos. Muitas gerações assim o recordam com nostalgia. Agora, a Conselheria de Educação tem conseguido esboçar um novo design de futuro com diversos contidos para este colosso, situado em primeira linha do campus. Já há projeto e apoio económico comprometido para fazê-lo possível. Num futuro próximo, quando estejam listas as obras necessárias, a Universidade Laboral albergará, para além de seus ensinamentos académicas (ESO, Ensino secundário, FP e outros contidos), o Conservatório Profissional de Música Irmãos {Berzosa}, agora sem espaço no Complexo São Francisco; o novo Conservatório Profissional de Dança da Extremadura, que começará sua andamento de forma provisória nas instalações da Escola Superior de Arte Dramática (São Jorge); e o Centro de Professores e Recursos ({CPR}), que deixará {Gómez} Becerra para facilitar o alargamento da Escola de Idiomas.

«FORMIGUEIRO DE VIDA» / Será uma mudança «muito importante», porque nestes momento o recinto tem muita atividade pelas manhãs, mas escassa pelas tardes, salvo a presença dos 120 alunos internos. Assim o afirma o diretor, que chegou como professor em 1983: «Conheci o centro com 1.800 internos que residiam aqui, que utilizavam o cinema, a piscina, todas as instalações... Isto era um formigueiro de vida, mesmo os estudos universitários de Empresariais e Enfermagem se davam na Laboral. Por isso, em minha opinião, os projetos que se anunciam suporão mudanças muito importantes», afirma Andrés Talavero, convencido de que os alunos que cursam ensinamentos académicos ainda pode crescer dos 1.200 atuais aos 1.400, e que o internado também pode incrementar-se de 120 a 200 alunos, «sem um aumento significativo nos custos».

É que Andrés Talavero leva uma década lutando para que ditas instalações estejam devidamente aproveitadas. Sempre tiveram os melhores laboratórios, um auditório para 500 pessoas, uma sala de atos para 1.000 espectadores, uma sala de juntas para 150 participantes, grandes dotações desportivas, uma pista de atletismo de competição, uma piscina climatizada hoje fechada... No entanto, a Laboral foi notícia nos últimos tempos pela necessidade de reformas e de aproveitar semelhantes espaços com novos contidos.

Faz mais de um ano deram-se a conhecer as primeiras soluções. A conselheira de Educação e Emprego, Esther Gutiérrez, detalhou no passado mês de Abril estes projetos por ocasião do ato institucional do 50ª aniversário do centro. Recentemente, o 16 de Maio, a conselheira também tem anunciado que este espaço albergará o primeiro Conservatório Profissional de Dança da Extremadura, e que comporia, junto ao Conservatório de Música, um Centro Integrado de Ensinamentos Artísticos. «Assim, somando este último centro, a Conselheria de Educação estima que se investirão em torno de 15 milhões de euros no {IES} Universidade Laboral. Dentro desta quantidade/quantia se contempla o citado Centro Integrado de Ensinamentos Artísticos, a reforma integral do instituto/liceu e o transferência ao recinto do Centro de Professores e Recursos ({CPR})», detalha o Governo regional a perguntas deste diário/jornal.

ASSIM SERÁ A REORGANIZAÇÃO / Ditas ações estão incluídas no Plano de Infraestruturas Educativas 2016-2020 da Junta de Extremadura, dotado com 137 milhões de euros, co-financiados num 80% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). Os projetos suporão importantes adaptações na Laboral. O novo Centro de Professores e Recursos se situará na rés-do-chão da atual residência de internos, que ocuparão a primeira e segunda planta desse mesmo prédio. Para isso se realizará o esvaziado da rés-do-chão a fim de suprimir a distribuição atual e todas suas instalações. «Ficarão disponíveis 3.500 metros quadrados que se usarão para dar cabida ao novo Centro de Professores e Recursos, para albergar as salas de aula dos ciclos formativos de Turismo e Hotelaria (Formação Profissional) e para uma zona de oficinas», precisam desde o gabinete de comunicação da própria conselheria.

Mas o processo de maior envergadura será a construção de um novo prédio com uma superfície de 2.051 metros quadrados, numa só planta, onde se darão os oficinas das famílias de FP de Instalação e Manutenção, e Soldadura e {Calderería}. Esta nave-contentor albergará todas as instalações necessárias para ditas ensinamentos, que deixarão livre o chamado prédio Norba, um dos recintos que em seu dia se construíram para alargar a Laboral (albergou por exemplo a antiga {Oficialía} Químico e Engenharia Física).

ESPAÇO DE ARTES / Pois bem, o prédio Norba ficará livre de os contidos de FP para dedicar-se por completo ao Centro Integrado de Ensinamentos Artísticos (conservatórios de música e de dança). Antes deverá habilitar-se adequadamente. O projeto, previsto inicialmente em 4 milhões, se tem elevado a 5 milhões após a decisão de localizar também as ensinamentos de dança. Os técnicos da Conselheria de Educação ultimam o caderno de encargos técnicas, necessário para iniciar/dar início a contratação da redação do projeto de obras. «Cabe destacar que também se estão incluindo já as necessidades de espaços para o novo conservatório de dança, pelo que o projeto se está reconsiderando», sublinham desde a Conselheria de Educação.

As melhorias chegarão a diferentes espaços da Laboral e serão de envergadura. Na planta primeira do centro se repararão as filtrações da área dos casa de banho e as duches comunitários, entre outras ações que se recolhem/expressão e redigem nestes momentos, e que suporão um investimento de quase 6 milhões de euros. Também se investirão outros 4 milhões para reformar a coberta, substituir as carpintarias e outras melhorias. A conselheria explica que ainda não é possível dar datas do início dos trabalhos, e neste sentido recorda que o processo inclui trâmites que também dependem doutras administrações, como a concessão das pertinentes licenças de obras.

No centro aguardam com expectativa estes projetos e propõem algumas melhorias acrescentadas para facilitar e alentar a chegada de estudantes à Universidade Laboral. A mais reiterada é o ajuste dos horários do transporte urbano. «Agora os alunos chegam demasiado cedo ou demasiado tarde. Às 7.50 da manhã já há aqui muitos estudantes esperando com frio e de noite em plenário/pleno inverno, a que comecem as classes às 8.30, porque com o seguinte autocarro não chegam. Na saída, às 14.30, também há problemas com os horários», explica o diretor, que solicita face ao próximo curso dois autocarros às 8.00 e outros dois às 14.30. «Não {pretendemos} condicionar o transporte, só/sozinho propor um horário racional. Com isso ficaria tudo solucionado para muitos jovens», argumenta.

O diretor recorda a envergadura da Universidade Laboral em todos os sentidos. Como instituto/liceu de ESO, Ensino secundário e FP, conta com 114 professores e 90 trabalhadores de diferentes âmbitos. «Temos instalações exemplares, por isso sempre lutámos por tirar-los o rendimento que merecem», afirma. Não é em vão, o ano passado se lhe concedeu a Medalha de Ouro da cidade.

RESIDÊNCIA ABERTA / Neste sentido, Andrés Talavero comunica que a residência de internos está aberta a qualquer aluno de Ensino secundário, Ensino secundário e Formação Profissional que curse seus estudos em qualquer centro cacerenho, e que deseje ter seu alojamento num recinto com as possibilidades de a Laboral.

As notícias mais...