+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

La ermida de São Jorge

 

SANTOS BENÍTEZ FLORIANO Cronista oficial de Cáceres
04/12/2019

En a cidade de Cáceres não temos nenhuma Igreja, nenhuma Ermida, nem nenhuma Imagem de São Jorge, nosso patrão, que esteja ao culto.

Temos uma escultura de São Jorge na praça/vaga de seu mesmo nome, obra do artista de {Arganda} do Rei (Madrid) José Rodríguez Aranda, uma representação de São Jorge com uma lança na mão direita combatendo ao dragão que se encontra aos pés do cavalo.

Mais figuras de São Jorge em Cáceres estão no Retábulo Maior/velho da Concatedral de Santa María; no Retábulo Maior/velho da Igreja da Afetado Sangue; numa {hornacina} no vestíbulo do palácio de {Carvajal}; num azulejo no vestíbulo do Palácio dos {Golfines} de Em cima, etc.

O que sim se podemos constatar é que a uns doze quilómetros da cidade, face à Torre dos Montes, nos {encontramos}, em metade do campo, um enigmático edifício, único em Espanha por seu design, estamos a falar da Ermida de São Jorge ou de São Salvador para alguns.

O edifício encontra-se em estado {ruinoso}, semioculto num terreno submerso, mas do qual não temos documentação. La maioria dos estudiosos acreditam tratar-se de um cano de esgoto de água, que posteriormente foi usado como ermida. O construiu Diego García de Ulloa “O Rico” no século XIV.

Consta de nave central, capela, sacristia e coro de pequenas dimensões. Apresenta pinturas murais com cenas bíblicas do Antigo Testamento e da vida de Cristo, com inscrições em latim, atribuídas ao pintor cacerenho Juan de Ribera no ano 1565, segundo consta numa esquina do templo.

Há dois versões que falam de sua utilização, como cano de esgoto de água do pequeno povoado ou que fora uma capela para dito povoado. Alguns a vêem como um culto ao água com ritos de batismo e purificação por imersão: onde o cavalheiro entraria montado em seu {corcel} e uma vez na água era abençoado por um padre.

Oxalá a Administração possa fazer que se recupere já que tem um valor histórico e artístico incalculável. Na atualidade se estão a fazer gestões para sua cessão ou sua titularidade pública e se acometa a restauração e posta em valor. Outra solução seria a reubicación da ermida noutros terrenos evitando a humidade tão grande do lugar na qual encontra-se.

No ano 2015 se criou em Cáceres a “Associação Fraternal São Jorge-Cáceres”, com o objetivo de fomentar o culto e a devoção do Santo na cidade. {Recordemos} que no ano 1548 se fundou em Cáceres uma Confraria dedicada a São Jorge que desapareceu no século XIX. {Deseamos} que dita Associação possa cumprir seus objetivos e fins e que o povo/vila de Cáceres conheça, queira e venere a São Jorge como se merece, e se pode ser numa capela ou ermida melhor.