+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O {Danzamaratón} cumpre 18 anos de vida e citará a 600 dançarinos

O Gran Teatro se converterá no montra dos grupos de dança. Interpretarão 57 peças de cinco minutos de duração entre o 14 e o 15

 

Apresentação do Festival Internacional de Dança de Cáceres, ontem no Gran Teatro. - FRANCIS VILLEGAS

EFE caceres@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
05/12/2019

Unos 600 dançarinos de todas a idades, com um repertório que combina o profissional com o {amateur}, participarão de 9 a 19 de Dezembro no Festival Internacional de Dança de Cáceres, que neste ano cumpre seu maioria de idade. A atividade principal será o {Danzamaratón}, consistente na exibição de 57 peças de cinco minutos de duração, com a intervenção de 591 dançarinos, durante o fim-de-semana de 14 e 15 de Dezembro.

Será no Gran Teatro, que se converterá em montra para que grupos de dança de todos os níveis e idades possam mostrar seu dança ao público extremenho, segundo informou este centralismo numa nota.

No afastado profissional, o Festival recolhe/expressa montagens nacionais e internacionais, como o da companhia mexicana de {Sunny} {Savoy} com os espetáculos ‘Outro sítio’, ‘Os Anos’ e ‘A Mala’.

‘Projeto: Tempo’, do extremenho Álvaro Murillo; ‘{Slow}’, de Uex Dance Project; ‘{daFne}’ e ‘{Saaf}’, de Daniel Luis; ‘Criadores de cavalos de passagem a meio caminho entre as palmas e o {taconeo}’, de {Nacho} {Carcaba} e Álvaro Murillo; ‘{Rarewalk}’, de {Elías} Aguirre; ‘A pau seco {redux}’, de Sara Cano; ‘Sem fôlego’, da companhia Mestiços {Crew}, e ‘O invisível’, da companhia Não Batizados, são outros dos trabalhos.

Além disso, celebrar-se-á a segunda edição de Plataforma de dança: diálogos contemporâneos, uma aposta em os artistas emergentes, premiando à melhor obra e ao melhor intérprete.

No Ateneo de Cáceres e na praça/vaga de Santa María poderão ver-se as obras ‘{Miñaxoia}’, da coreógrafa Clara {Ferrao}; ‘Mapa’, de Esther Latorre e Hugo Pereira; ‘{Nexos}’, de {Estefanía} {Gómez} e Alba Fernández; ‘O breve da continuidade’, de {Lina} Mar {Galindo}; ‘Compasso {morto}’, de {Marcia} {Vázquez}; e ‘{XY} (Unipessoal)’, de Daniel Luis, entre outros.

Também, em colaboração com a Cinemateca da Extremadura, o 11 de Dezembro se projetará {Girl}, cuja temática relaciona a dança e o {transgénero}. Durante tudo o festival poderá visitar-se no {ILM} da Universidad de Extremadura e o {Mastropiero} {Gastrobar} a exposição fotográfica ‘Poética das emoções’ dos artistas {JF}. {Quais} de {Poitiers} e o extremenho Álvaro Quintanilla, criada a partir da olhar na obra ‘Monstro de amor’.