Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 19 de junho de 2018

O {Cefot} recebe quase um milhar de novos reclutas, a cifra mais alta numa década

Pertencem ao segundo ciclo de 2017. Em Maio chegarão outros 1.155 do terceiro ciclo extraordinário. Os militares permanecerão no aquartelamento quatro meses e jurarão bandeira o 10 de Março

G. G.
09/01/2018

 

El Centro de formação da Tropa cacerenho inicia o ano com suas melhores cifras. El aquartelamento de Santa Ana recebeu ontem a quase um milhar de novos reclutas, a cifra mais alta numa década. Deixa atrás anos de incerteza nos que Defesa apresentou fechar a base e recupera os números de quase faz dez anos. A chegada dos novos alunos se produziu a conta-gotas. Embora tinham de prazo para apresentar-se até as 20 horas, a maioria dos militares se tinham incorporado antes do início da tarde. Muitos foram acompanhados de seus progenitores aos que despediram, bagagem em mão, à entrada da base militar. Outros tantos aterraram na cidade em comboio e em autocarro.

Para muitos esta era sua primeira visita a Cáceres, uma cidade na qual residirão durante o tempo que se prolongue a formação no centro militar. Com uma mistura de «nervos» e «ilusão/motivação» viviam ontem a experiência Julián Domínguez (20 anos, Madrid) e Manuel García (18 anos, Galiza). Ambos se conheceram ontem na fileira para apresentar-se antes de cruzar a entrada, se cumprimentaram com um aperto de mãos e se desejaram fortuna para a nova etapa. Curiosamente, grande parte dos reclutas que entrevistou este diário/jornal carecem de antecedentes militares na família. Não era o caso de Iván Santiago (24 anos, Galiza), que vive familiarizado com a vida {castrense} graças a o seu pai Andrés, Guardia Civil. Os três partilhavam a mesma intenção de «servir à pátria» de José Sánchez (24 anos, Valência), que aterrou em seu carro e como tantos outros, luzia já seu corte de cabelo ao zero para poupar-se o passo prévio a sua entrada.

Todos eles atravessaram a porta do que se converterá em seu lar durante quase quatro meses. Receberão formação militar e jurarão bandeira o 10 de Março. Ontem rubricaram os documentos para incorporar-se às Forças armadas. As condições mínimas para aprovar a formação militar básica passam por superar a instrução físico-militar, demonstrar aptidão em exercícios de tiro e marchas, e obter uma nota não inferior a cinco no relatório/informe do aluno e no conjunto/clube das matérias teóricas e práticas, segundo informa o {Cefot} cacerenho em nota de imprensa.

2.000 militares num ano // Os alunos que se incorporaram ontem pertencem ao segundo ciclo de 2017 de Infantaria (Ligeira e Mecanizada) e de Cavalaria. Por outro lado, neste ano Defesa prevê que cheguem a Cáceres os alunos de três ciclos, o que começa agora em Janeiro e os dois correspondentes a neste ano. Em qualquer caso, Defesa não descarta que durante o ano possam chegar mesmo mais ciclos já que pertencem a esse exercício se assim o determina a Oferta Pública de Emprego. Tal como publicou já este diário/jornal, o 22 de Maio chegarão outros 1.155 do terceiro ciclo extraordinário de 2017. Estes dados foram facilitados pelo coronel chefe, Francisco de Asís Ramírez. Estes dois serão sem dúvida os dois maiores/ancianidade substituiçãões desde que o acampamento acolhe a formação militar não obrigatória. As cifras mais elevadas até agora passam pelo último ciclo que acolheu 817 soldados e a promoção de 2013 que alcançou os 800 jovens.

As notícias mais...