Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 26 de septembro de 2018

De {Cea} defende a viabilidade de passar a tubagem de Portagem por pontes da A-66

De Valdesalor se falou na reunião entre Câmara Municipal e {CHT}

J. L. BERMEJO CÁCERES
10/03/2018

 

O presidente da Confederação Hidrográfica do Tejo ({CHT}), Juan Carlos de {Cea}, defendeu a viabilidade de passar a tubagem de Portagem pelos pontes da autoestrada A-66 para cruzar os rios Tejo e {Almonte}. Comentou que é possível na reunião que na quarta-feira passada manteve com a presidenta da Câmara Municipal, Elena Nevado, e membros da sua equipa. A regedora, em declarações a tarde de quarta-feira, referiu-se a que a opção na qual trabalha a {CHT} é em utilizar/empregar as pontes da autoestrada. Desde o Ministério de Fomento o que se pediu à confederação são relatórios complementares, não basta com uma simples autorização, que {justifiqen} a viabilidade desta solução.

Na reunião, a presidenta da Câmara Municipal voltou a expressa à Confederação a rejeição ao projeto por parte da Câmara Municipal porque seu custo, só/sozinho a adjudicação que se fez das obras em 2007 foi por 40 milhões, acabará repercutindo na tarifa que pagam os cacerenhos. A rejeição municipal ao projeto data desde o governo de José María Saponi, durante o seu mandato se chegou a apresentar um recurso antes os tribunais.

Na reunião entre a Câmara Municipal e a Confederação também se falou de transformar o barragem de Valdesalor num parque periurbano. A Confederação informou de que a titularidade é da Junta, motivo pelo qual a junta local de governo adotou ontem o acordo de solicitar à Junta de Extremadura que inicie o processo para «dotar a Cáceres e Valdesalor de um novo espaço de recreio e natural», comentou o porta-voz do governo, Rafael Mateos, após a junta.

Este não é o primeiro tentativa, a primeira pedido/solicitação formal desde a junta de vizinhos de Valdesalor foi em 2008, mais recentemente, em 2017, se fez a última proposta à Câmara Municipal, «é um projeto pelo que {venimos} lutando desde há muito tempo», apontou ontem a presidenta da Câmara Municipal da entidade local menor, {Susana} Bermejo, que recordou que durante o mandato de Carmen Heras já se incluiu uma primeira verba/partida. Bermejo reiterou que o que se procura desde Valdesalor não é só/sozinho um parque periurbano, «o que queremos é que todos os que têm competências sobre/em relação a o barragem exerçam sua responsabilidade e que este limpo. Na reunião com a Confederação, Nevado deveu insistir na limpeza e melhoria do albufeira porque a Confederação também tem competências que dizem respeito ao albufeira», reiterou a presidenta da Câmara Municipal da entidade local.

As notícias mais...