Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 17 de fevereiro de 2020

A Câmara Municipal alarga os usos no centro comercial Ruta de la Plata

O governo local, dentro das competências da Câmara Municipal, «lutará» contra as casas de apostas. As alegações apresentadas pelos proprietários do antigo campo de aviação se rejeitam

JOSÉ LUIS BERMEJO
12/07/2019

 

A comissão informativa de Urbanismo da Câmara Municipal emitiu parecer ontem por unanimidade a favor de alargar os usos no centro comercial Ruta de la Plata e de simplificar os trâmites para a abertura de locais de lazer e de restauração no mesmo. Do que se informou ontem neste órgão da Câmara Municipal é sobre/em relação a a aprovação provisória da modificação do plano diretor municipal que há um ano redigiu {Zubiarte} Investimentos Imobiliárias como proprietária deste espaço. Este acordo terá que se referendado no plenário/pleno que a corporação local celebrará na próxima semana. A ratificação definitiva corresponderá à Junta.

Com o acordo adotado ontem pela comissão também se rejeitam as alegações apresentadas pela agrupamento de interesse/juro urbanístico da feira (antigo campo de aviação), que tem pendente de desenvolver seu próprio espaço comercial, e se alargam os efeitos deste mudança na regulamento urbanístico a mais parcelas e espaços da cidade que estão destinados a atividades económicas ao sim aceitar-se outra reclamação apresentada por um particular. O parecer da comissão se tem tomado em base às observações dos serviços técnicos da Câmara Municipal.

A modificação do plano de urbanismo promovida por {Zubiarte} Investimentos tem três objetivos. O primeiro é adaptar o regulamento ao que há agora no centro comercial e que não está regulado no plano geral, como é a instalação no cave, no estacionamento, de um oficina de automoção. O fim é que seja compatível este uso industrial, para além de um tanque de veículos, entre os permitidos para as grandes superfícies ou espaços comerciais da cidade.

O segundo objetivo é que se permitam mais usos terciários dentro do centro comercial do Ruta de la Plata. Isto possibilitaria que sejam compatíveis serviços como clínicas {odontológicas} ou de cirurgia menor ou as cabeleireiros nos novos locais que se abrirão no espaço que deixou o hipermercado de Eroski.

E o terceiro objetivo, que é o mais surpreendente, consiste em reduzir os trâmites administrativos para a abertura de bares ou de locais de lazer e de restauração. É eliminar passos como a elaboração de um estudo de detalhe, quando a superfície útil seja igual ou superior a 300 metros quadrados, ou de um plano especial. Ambos se substituirão por uma justificação no projeto de pedido/solicitação da licença na qual se garanta a adequação da ordenação para facilitar a evacuação e não interferir noutros usos.

O que pede a empresa é «modificar os trâmites para simplificar a instalação (...) deste tipo de locais --de lazer, de restauração...--, o qual beneficia diretamente à população», segundo se especifica no documento da modificação do plano geral, que o plenário/pleno da corporação local aprovou inicialmente no passado mês de Outubro.

Esta modificação na norma urbanística da cidade e que ontem emitiu parecer a comissão está vinculada à reforma e transformação em novos locais comerciais do espaço que deixou vazio o hipermercado de Eroski. Se pretende «dar mais capacidade» aos novos locais, explicou ontem o vereador delegado de Urbanismo, José Ramón Bello.

Estas mudanças e objetivos não só/sozinho afetam ao Ruta de la Plata, mas também se aplicarão noutros como Induyco, onde está o centro de oportunidades de El Corte Inglés, Carrefour, {Supercor}, a maçã do hotel Extremadura e outros espaços da cidade que têm uso comercial.

CÍRCULO DE EMPRESÁRIOS / Por outro lado, o presidente da Câmara Municipal, Luis Salaya, reuniu-se ontem com uma delegação do Círculo Empresarial Cacereño. No encontro se acordou que se mantenham reuniões cada três meses «nas que nós exponhamos as coisas que nos preocupam», comentou José Polo, que foi um dos representantes do coletivo empresarial na reunião de ontem. «Lhes manifestámos o interesse/juro por atrair empresas e melhorar o tecido económico», apontou Salaya após o encontro. Na cita/marcação/encontro de ontem também se abordou a necessidade de ter «uma oferta cultural de nível como motor económico», acrescentou Salaya. «Com projetos culturais a cidade se pode desenvolver mais», acrescentou Polo.

Após seu encontro com os empresários, o presidente da Câmara Municipal recebeu no sala de plenários/plenos a meninos que participam nos acampamentos urbanos. Trata-se de encontros protocolares nas que se dão a conhecer aos menores como funcionam as instituições municipais e nas que estes podem perguntar. Uma de suas inquietudes ontem foram as casas de apostas, locais que têm proliferado na cidade nos últimos anos. Salaya expôs que não é partidário das mesmas porque «podem gerar um problema de {adición}» entre os jovens e anunciou que dentro das competências que tem a Câmara Municipal relativamente a esta atividade vai-se a «lutar contra as casas de apostas».

As notícias mais...