+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Autorizam a Passagem do Ano universitária em A Madrila apesar da queixa de vizinhos

Residentes mostram sua rejeição e lamentam que não se lhes tenha consultado antes de dar a autorização. Será o dia 12, contará com um ecrã gigante e uma simulação das badaladas com {gominolas}

 

O vereador Andrés Licerán, esta quinta-feira, após a junta local de governo. - FRANCIS VILLEGAS

G. GUERRA
06/12/2019

La Nochevieja universitaria se celebrará en La {Madrila}. La Junta local de Governo deu aprovação a uma proposta feita por quatro hoteleiros da praça/vaga de {Albatros} para que os estudantes despeçam o ano de forma antecipada nos locais do centro. Segundo tem precisado esta quinta-feira o vereador Andrés Licerán, a Câmara Municipal tem concedido a autorização para uma iniciativa que terá lugar na mesma praça/vaga na quinta-feira, 12 de Dezembro desde/a partir de as 23.00 horas e até 00.10 horas. Nesse intervalo, se permitirá instalar um ecrã gigante e far-se-á uma simulação das badaladas de fim de ano com {gominolas} «da sorte». Em nenhum momento se permitirá o consumo de bebidas na rua e uma vez que ultrapasse essa hora se desalojará a zona para que os assistentes regressem ao interior dos locais. Nessa linha, um dos promotores defende que se ajustarão na hora estipulada para garantir a convivência e o descanso/intervalo dos residentes.

Não estão de acordo com o anúncio os vizinhos/moradores, que mostram seu total rejeição e lamentam que não se lhes tenha consultado antes de conceder a autorização. Segundo põe a manifesto a este diário/jornal o presidente de vizinhos Miguel Salazar, «é o desafio mais vergonhoso que os vizinhos/moradores podem receber/acolher, se querem vingar deles». «¿Porque é que têm que escolher a praça/vaga de {Albatros}? ¿Porque é que não a praça/vaga de Bruxelas? ¿Ou a de Itália? ¿Ou a praça/vaga Maior/velho?», expõe. Nesse sentido, anuncia que reunir-se-á com representantes municipais para expressar-lhes seu queixa pelo anúncio e tomarão ações para manifestar seu mal-estar. Precisamente, no mesmo dia coincide a Nochevieja universitária com a festa com miolos que organizam os vizinhos/moradores na sede de vizinhos a partir das 19.30 horas.

La Associação Regional contra o Ruído também se tem pronunciado em relação. Nesse sentido, seu presidente, José María Iglesias, expressa a este rotativo seu desacordo com a iniciativa. Insiste em que o coletivo não se opõem as celebrações natalícias nos dias de {Nochebuena} e Nochevieja porque «essas dois noites entram dentro da idiossincrasia das celebrações do ano» mas manifestam sua desconformidade à celebração prevista para meados de Dezembro e para isso se amparam na lei de espetáculos. «Se durante o dia não se podem superar os 55 decibeis e à noite 65, vai-se a incumprir a lei», sustenta Iglesias enquanto esgrime que não há garantias para que no fim da celebração, prevista para a meia-noite, se desaloje a zona e seja compatível com a convivência de vizinhos. Nesse sentido faz menção a um documento do provedor de justiça e alude à responsabilidade dos próprios proprietários dos negócios sobre/em relação a o ruído que se produzirá nas proximidades de seus negócios e que repercutirão nos residentes porque «terá uma grande acumulação de pessoas».

NO DA FEIRA // Assim, após anos relegada à periferia do recinto da feira, a festa universitária se desloca ao centro dentro da programação natalícia que têm elaborado os hoteleiros de La Madrila, que também se somam às canas de {Nochebuena} e o tradicional fim de ano. Até agora, a Nochevieja universitária se celebrou sempre fuera do ambiente urbano. Em 2016 um promotor privando cacerenho habilitou uma tenda no da feira e em 2017 foi uma empresa salamanquina a encarregada de organizar uma festa no recinto hípico que congregou a 1.800 pessoas das 4.000 previstas. O propósito esse ano foi emular em Cáceres a celebração multitudinária para despedir o ano que tem lugar em Salamanca e reúne a milhares de universitários. No passado ano, um grupo de hoteleiros da cidade propôs à Câmara Municipal um programa de atividades para a praça de touros que incluía também uma festa de similares características, mas finalmente não recebeu autorização.

Cabe destacar que este anúncio de devolver a festa ao centro se produz enquanto os onze hoteleiros da praça/vaga de {Albatros} que foram condenados por um delito de poluição acústica cumprem sua pena de prisão na cadeia cacerenha. Após um {litigio} que enfrentou a empresários e vizinhos/moradores e que se prolongou durante anos, o juiz sentenciou aos hoteleiros cacerenhos com uma condena sem precedentes quanto a penas de prisão e indemnizações se refere (100.000 euros).

Por outro lado, a Junta Local de governo deu luz verde ontem à instalação duma campanha de recolhida de brinquedos que organiza Cruz Roja na rua São Pedro o 22 de Dezembro dentro da programação da nova associação {Astoria}. Também deu luz verde a que a associação de vizinhos/moradores de {Gredos} organize uma festa de xadrez e uma festa infantil o 3 de Janeiro, o {pasacalle} com o carteiro real por {Llopis} e um rosca solidária o próximo 3 de Janeiro, que terá lugar no quiosque da música e está organizado pela Casa da Misericórdia de Alcuéscar.