Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 28 de fevereiro de 2020

A assembleia provincial leva ao cinema doze localidades com oito largometragens

A atividade vai ser desenvolta entre os dias 8 de Novembro e 8 de Dezembro

EUROPA PRESS caceres@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
06/11/2019

 

A assembleia provincial tem posto em marcha um novo programa cultural denominado ‘Cinema de Hoy’, que vai ser desenvolto de 8 de Novembro a 8 de Dezembro, com o que pretende levar a sétima arte a doze localidades da província nas que se projetarão, de forma gratuita, oito largometragens de recente produção cinematográfica. Trata-se de uma iniciativa que procura recuperar a tradição de ver um filme na grande ecrã em alguns núcleos rurais nos que faz tempo chegou a existir uma sala de projeções, já desaparecida pelo efeito da despovoamento e a perda de serviços nos municípios.

«Queremos aproximar as nossas aldeias a produção cinematográfica atual da cartaz, com um dobro objetivo: por um lado oferecer uma oportunidade para projetar cinema de estreia e de qualidade e, por outro, incidir nos aspetos que possam interessar ao público dos nossos municípios», indicou o deputado de Cultura e Desporto da assembleia provincial, Fernando Grande Cano, na apresentação deste novo programa provincial que chega com intenção de continuidade. Assim, de 8 de Novembro a 8 de Dezembro um total de oito largometragens se irão projetando em doze localidades, dois filmes em cada município, uma para maiores de 7 anos e outra para maiores de 12, mas todas dentro do que poderia denominar-se cinema em família.

Neste ano os filmes escolhidas, «seguindocritérios de qualidade cinematográfica, diversao e interesse público», disse Grande, são Aladdin, de Guy Ritchie; Campeões, de Javier Fesser; O reino, de Rodrigo Sorogoyen; Handia, de Jon Garanho e Aitor Arregi; Meu amor perdido, de Emilio Martínez-Lázaro; Minha cara confraria, de Marta Díaz; Mula, de Clint Eastwood}, e Perdendo o Este, de Paco Caballero.

As localidades às que chegarão são Campo Lugar, Garciaz, Herreruela, Madrigalejo, Madroñera, Navaconcejo, Talaveruela da Vera, Torrecillas da Tiesa, Torrejoncillo, Valdelacasa de Tejo, Valdehúncar e Valverde del Fresno. Todas foram escolhidas porque neste exercício não se têm beneficiado de outros programas culturais, explicou o deputado. O orçamento para esta iniciativa é de uns 21.000 euros e a assembleia provincial se encarrega do montagem da grande ecrã e da projeção dos filmes que se fará em alta resolução.

Esta iniciativa cinematográfica teve seus começos já faz dez anos, embora com outro formato porque estava dirigida a escolares. Agora renasce com esta nova denominação e com uma nova filosofia, como é levar cinema de plena atualidade e de qualidade a municípios da província. «Se alguém pensasse em levar este tipo de atividade esperando alguma rentabilidade, nessa altura não chegaria a muitos municípios, por isso, desde a assembleia provincial sim o fazemos porque queremos que a cultura chegue a todos os cantos, independentemente do tamanho ou número de habitantes».

As notícias mais...