+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O Arquivo Histórico recolhe/expressa numa edição seus ‘Documentos do Mês’

Deles destaca um orçamento de 1792 que pretendia eliminar o desnível da praça/vaga. Um {cuadernillo} recolhe/expressa os 12 apontamentos que se têm exposto durante o ano 2019

 

A vereadora de Cultura, {Fernanda} Valdés, e o cronista oficial de Cáceres, Fernando Jiménez Berrocal. -

EUROPA PRESS
23/02/2020

O Arquivo Histórico Municipal de Cáceres publicou um {cuadernillo} que reúne os doze ‘Documentos do mês’ que se têm exposto durante o ano 2019 no Palácio da Ilha, numa iniciativa que pretende oferecer a riqueza bibliográfica da cidade para conhecer melhor sua história, tradições e curiosidades.

A publicação, que se realiza desde/a partir de o ano 2012, foi apresentada esta terça-feira pela vereadora de Cultura, {Fernanda} Valdés, e o encarregado do arquivo, cronista oficial da cidade e colunista deste jornal, Fernando Jiménez Berrocal, quem explicou que os temas que se escolheram no passado ano na iniciativa ‘Documento do mês’ mostram à cidadania «um pouco/bocado mais» da história da cidade na qual vivem por meio de notícias, acontecimentos ou destacados personagens de épocas passadas.

Assim, em Janeiro o documento se dedicou à rede de telefonia que se estabeleceu na cidade a partir de 1923 graças a uma petição/pedido que fez na altura própria a companhia manufatureira global {International} {Telephone} & {Telegraph} ({ITT}).

Também dentro do {cuadernillo} se pode encontrar um bando de 1859 sobre/em relação a as condições nas que se devia vender a carne na cidade, ou os planos do que foi a Escola Elementar de Estreitamente de Cáceres, que atualmente segue/continua emprestando seus serviços na rua {Gómez} Becerra como Escola de Idiomas e Centro de Educação de Adultos.

CASTEL / O orçamento de um projeto do ano 1792, com o que se pretendia retirar o desnível existente na praça/vaga Maior/velho para aplanar-la; o plano duma das {boticas} insigne da cidade como era a farmácia de Castel que estava localizada na Praça Maior, ou os bens declarados dum dos personagens mais ricos da cidade, como era Diego de Carvajal, são outros dos documentos recolhidos na publicação.

Também se podem consultar alguns exemplares do semanário ‘O Gaspacho’, que se esteve publicando desde/a partir de 1791 até 1976, ou uma homenagem a Publio Hurtado pelo 90 aniversário de seu falecimento, entre outros, segundo informa o Consistório cacerenho em nota de imprensa.

Por tudo isto, a Câmara Municipal considera que a iniciativa de ‘Documento do mês’ é uma maneira de «percorrer o tempo passado e uma forma de animar aos cacerenhos a chegar ao Arquivo Histórico Municipal, que alberga uma grande quantidade/quantia de documentos originalíssimos em bom estado que configuram um após outro a história da própria cidade.