Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 21 de janeiro de 2020

O agrupamento de vizinhos pede que se cumpra o orçamento participativo

O coletivo tem o apoio das associações de vizinhos que o formam. Apresentará hoje uma petição por escrito no registo da Câmara Municipal

J. L. BERMEJO
03/12/2019

 

O agrupamento de vizinhos, coletivo no qual participam associações de vizinhos, apresentará esta manhã no registo da Câmara Municipal um pedido no qual se pede ao governo local que informe por escrito das atuações executadas e comprometidas dos orçamentos participativos de 2019 e que acontecerá com o resto das atuações não realizadas. O que se quer é que se não se fizeram nem estão em trâmites que sim tenha um compromisso de que far-se-ão em 2020, confirmou ontem o presidente do agrupamento, José Alberto Iglesias.

Todos os anos a Câmara Municipal abre um trâmites de participação cidadã no qual os coletivos transferem as suas propostas de despesa duma quantia que a câmara municipal atribui a este processo. No último ano foi de um milhão de euros. Em finais de cada ano, em 2018 este procedimento se iniciou o 25 de Outubro, a Câmara Municipal convoca os conselhos de distrito, se recolhem as propostas, se analisam e se decide a distribuição. O ano passado se acordaram 27 atuações. Mas como as contas locais de 2019 não se aprovaram e se tiveram que alargar as de 2018, o ano se iniciou sem verba para despesas do orçamento participativo. Em Maio se aprovou pelo pleno uma modificação nos orçamentos alargados para dar crédito à maioria das inversões acordadas pelos vizinhos.

A queixa ontem de Iglesias era que a data de 2 de Dezembro não estão executadas a maioria dos investimentos que se decidiram fazer em 2019 e além disso não se iniciou a discussão para acordar a despesa de 2020, «vamos muito mau de tempo», apontou Iglesias, que recordou que em anos anteriores já se tinham celebrado as primeiras reuniões nestas datas. Nas últimas semanas se têm tirado a contratação algumas das investimentos acordados para os orçamentos participativos de 2019 como os parques infantis em Aguas Vivas e Moctezuma e a melhoria da acessibilidade nas freguesias de Cáceres. O presidente da Câmara Municipal, Luis Salaya, comentou na sexta-feira passada que nesta semana se apresentará o esboço das contas de 2020 e que se levará o documento aos conselhos de distritos para decidir os investimentos dos orçamentos participativos.

As notícias mais...