Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 21 de novembro de 2017

463 jovens dormirão em residências


11/09/2017

 

En quantidade/quantia, a opção de viver num apartamento partilhando o aluguer com companheiros ganha por goleada à alternativa das residências universitárias. No entanto, a comodidade que oferecem este tipo de alojamentos faz com que hoje só/sozinho fiquem menos duma dezena de praças/vagas livres em toda a cidade entre as seis residências em funcionamento atualmente, que alojarão a 463 universitários neste ano. De facto, a única que conta com praças/vagas livres é a residência {Trajano}, que dispõe de 20 praças/vagas das que ainda meia dúzia estão sem ocupar. O regime neste alojamento é pensão {competa} de segunda-feira a domingo.

O resto de residências estão todas completas, e inclusivamente com listas de espera, e diferem bastante entre sim. Para aqueles que preferem companhia numerosa e lazer dentro do mesmo imóvel, as melhores opções são as residências Diego Muñoz Torrero, com até 170 praças/vagas; a escola maior São José, com 130 praças/vagas; e a residência María Roso de Luna, com 120 praças/vagas. Todas elas já estão completas e, quanto a preço, as duas mais económicas resultam Mario Roso de Luna e Diego Muñoz Torrero, onde alojar-se subida 385’60 euros por mês, enquanto para os que optem pelo colégio maior São José a mensalidade se dispara até os 625 euros.

Estas são sem dúvida as residências mais equipadas em Cáceres. Na escola maior São José os estudantes dispõem de cafetaria, salas de aula de estudo, biblioteca, ginásio, várias pistas desportivas e inclusivamente uma piscina ao ar livre. Têm liberdade para entrar e sair --como no resto de alojamentos--, mas se lhes aponta a hora de chegada e a de saída ao tratar-se de um colégio maior e não uma residência ao uso. Também os alojados em Mario Roso de Luna contam com similares instalações mas, neste caso, a diferença esta no imóvel: os jovens se alojam em grandes chalés com capacidade para 12 pessoas.

En contraposição, para esses universitários que preferem maior tranquilidade e intimidade as melhores opções são a residência Belén, com 11 praças/vagas, e a Zurbarán, com uma dúzia de praças/vagas. Mas ambas estão cobertas. Hospedar-se na residência Belén em regime de pensão completa subida 425 euros partilhando quarto e 475 euros se se deseja um quarto individual, enquanto fazê-lo em Zurbarán sai por 575 euros por mês, também em regime de pensão completa de segunda-feira a domingo. Somente na residência {Trajano} dispõem em média dúzia de praças/vagas livres das 20 que têm, que previsivelmente se esgotarão nos próximos dias.

Por tudo isso, se faz evidente que a opção das residências universitárias segue/continua tendo seu público fiel, que cobre cada ano a oferta cacerenha. De facto, muitos estudantes começam e acabam a corrida/curso no mesmo alojamento. «Aqui temos tido muitos universitários que entraram em primeiro e ficaram até quinto», aponta Mari Ángeles Iglesias, da residência Belén. P. CÓRDOBA

As notícias mais...