Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 26 de septembro de 2017

Uma trintena de locais noturnos de lazer assinará um código ético pelo ruído

Ainda está aberto a contribuições de empresários e também dos residentes do Centro Histórico. Nesta semana estão convocados para ultimar o documento com os compromissos e rubricá-lo

A. M. ROMASANTA
10/09/2017

 

Promovido pela Confederação Empresarial de Turismo da Extremadura ({Cetex}), uma trintena de locais de lazer noturno de Badajoz assinará um código ético, um acordo/compromisso de boas práticas cujo rascunho/esboço/minuta está bastante avançado embora ainda encontra-se aberto a modificações, com o que comprometem-se a adotar medidas para tentar conciliar os interesses dos empresários e os residentes na zona onde se localizam estes estabelecimentos. Segundo explicou o gerente de {Cetex}, Antonio Martínez, têm previsto reunir-se na próxima semana para rematar o conteúdo e assiná-lo, bem como manterão encontros com associações de vizinhos/moradores do Centro Histórico para concretizar o que já estão negociando através de contactos iniciais.

Os negócios que finalmente assinem este código ético exporá em seus estabelecimentos um cartaz ou logótipo visível para que seus clientes e a autoridade conheça seu acordo/compromisso. «O que queremos é diferenciá-los dos que não cumpram o código ético e os vizinhos/moradores já saberão que esse local não lhes vai a dar problemas».

O código abrange um largo espectro de compromissos, que se referem a comportamentos para evitar o excesso de ruídos e também para contribuir à limpeza da via pública. Em primeiro lugar, segundo recolhe/expressa o rascunho/esboço/minuta, os signatários comprometem-se a cumprir a lei vigente, com especial atenção às limitações acústicas e o horário de fecho. Em segundo lugar, oferecerão colaboração com os serviços de limpeza de apoio para o asseio de portais e locais anexos aos negócios de lazer noturno. Também aceitariam «na medida do possível», o armazenagem das lixos no interior dos locais de forma que se tirarão aos contentores no horário que menos {perturbe} o descanso/intervalo do vizinhança, «fazendo-o de modo rápido e o mais silencioso possível», mas «de maneira nenhuma» se depositarão resíduos na via pública. Para que este comportamento resulte eficiente, os empresários pedem a implicação da Câmara Municipal para que flexibilize e adeqúe os sistemas e horários de limpeza e recolha de lixo, de forma que se tenha em conta o descanso/intervalo dos residentes, não só/sozinho que se cumpra o serviço.

Por outro lado, os signatários realizarão «um esforço» para consciencializar aos clientes do problema que gera o ruído na via urbana e, a tal efeito, {atendenderían} ao direito de admissão nos casos mais graves e inclusivamente iríam à polícia para proteger a ordem pública.

Outro ponto fundamental se se cumpre é o quinto, com o que os hoteleiros comprometer-se-iam a não facilitar a consumo de bebidas fuera do estabelecimento e ficaria proibido o transvase a recipientes de plástico. Também, o código se refere aos veladores, cujo número autorizado temos de respeitar, tentando que sua instalação não suponha uma barreira para os transeuntes com problemas de mobilidade. Também alude o lista à formação dos empregados em matéria de proteção ambiental e na recolhida dos veladores e do lixo de forma silenciosa. Além disso, aqueles que assinem este código comprometem-se a ser «nossos próprios observadores» para seu cumprimento, contando com o apoio de {Cetex}.

As notícias mais...