Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 19 de junho de 2018

Um quarto próprio

ROSALÍA Perera Gutiérrez
10/01/2018

 

A {Virginia} {Wolf} lhe encarregaram uma conferência para a {National} {Society} {for} {Women}’s {Service}, em Janeiro de 1931. Falou da exclusão das mulheres de lugares, atividades, profissões, porque se esperava delas uma vida de renúncia a favor da família. Mulheres às que se lhes vedava a entrada a certos espaços e se lhes limitavam os movimentos. Para {Wolf}, a independência económica e um espaço pessoal, «quinhentas {libras} e um quarto próprio», onde poder/conseguir ser ela sem o olhar censuradora de ninguém, sem atender a outros {menesteres} mais que a sim mesma, eram necessários para criar e para ser. Reivindicava, desde este reduto {metafórico} e real, a autonomia para participar e para decidir. Outras, antes e depois, pagaram portagens, se sacrifícaram ou procuraram mediante o {ardid} do disfarce e o pseudónimo, entrar nesses mundos fechados. Não lhes consolava «a certeza da liberdade interior» nem podiam esperar a que a mudança chegasse espontaneamente. Como os corpos dos primeiros soldados que desembarcaram em {Calais}, que serviram de parapeito/peitilho para permitir o avanço dos que lhes seguiam/continuavam, elas nos abriram passo. Voltar agora a esconder-se, a confinar-se após um véu imposto para, por exemplo, jogar ao xadrez, é renunciar ao «quarto próprio». Uma só voz levantada, denunciando a {Arabia} Saudita e o submissão das mulheres perante leis discriminadoras, conseguiu de novo a mudança. Aplanou o caminho para as que vivem naquele país. Sabiam dos abusos sexuais na indústria do cinema, olhando a outro lado, assumindo's, por alguns, como parte do custo que deviam pagar as mulheres por triunfar. A noite antes de denunciar a um poderoso produtor, aquela atriz estava só. Por isso é simples agora lançar discursos quando já está {desbrozado} o terreno, expedito, para que luzam na passarela seus vestidos negros. Foi para as famosas e as anónimas, essas que têm que ser forçosamente valentes nas conferências de imprensa, nos quartos, nas {fabricas}, nos tribunais, em seus pequenos povoados, para as que construiu {Virginia} {Wolf} um quarto próprio; um lugar onde guarecer-se, crescer, criar, armar-se para sair ao mundo, e já nele, plenamente, sem {limites}, viver.

As notícias mais...