Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 17 de dezembro de 2018

{Tubasa} incorpora 15 autocarros elétricos e linhas lançadeiras com microautocarros

Os pequenos emprestarão serviço em 4 ou 5 meses e os elétricos podem tardar uns dez meses. Se introduzem melhorias para Cerro Gordo, Llera, São Fernando, Talvegues, a {Pilara} e Alvarado

A. M. ROMASANTA lcb@elperiodico.com BADAJOZ
07/06/2018

 

Todavía ficam alguns meses para que o projeto de melhoria do serviço de autocarros se materialize, mas quando aconteça, Badajoz se poderá à cabeça em mobilidade sustentável com o transporte urbano. A empresa concessionária, {Tubasa}, vai a incorporar a sua frota 15 autocarros 100% elétricos (dos 42 que compõem-na, dois, deles dois são híbridos) e além disso 5 microautocarros de 22 praças/vagas que permitirão dar início linhas {exprés} ou lançadeiras. O investimento será de 8,6 milhões de euros. Os microautocarros podem tardar quatro ou cinco meses em incorporar-se e os veículos elétricos, uns dez meses.

Esta atuação foi apresentada ontem pelo presidente da Câmara Municipal, Francisco Javier Fragoso, acompanhado da vereadora de Ciudadanos, Julia Timón, cujo voto necessita o PP no plenário/pleno municipal para modificar o caderno de encargos da concessão do transporte urbano, que vai-se a alargar 10 anos mais, de maneira que em lugar de terminar no 2027, {Tubasa} seguirá/continuará emprestando este serviço público até ao 2037. Também compareceram os vereadores María José Solana e Jesús Costales, junto ao gerente de {Tubasa}, Julián Pocostales.

O modelo de autocarro elétrico que vai-se a adquirir é o que se esteve provando na cidade entre Fevereiro e Março. Era o terceiro que se punha a prova e os usuários o recordarão porque era de cor branca com lunares lilás. É da marca chinesa {BYD} embora de fabrico europeu. Funciona com baterias de {litio} e sua autonomia é de 250 quilómetros sem recarga/recarrega. Cada veículo subida 475.000 euros.

Para além de renovar a frota, vão a incorporar novas linhas para tentar satisfazer as procuras dos vizinhos/moradores de diferentes bairros com microautocarros, que também vai a adquirir {Tubasa}. Em primeiro lugar vai-se a criar uma linha direta desde a freguesia de Alvarado, de forma que em lugar de passar por Balboa e Villafranco chegará diretamente pela estrada da Corte a Badajoz, Desta maneira o serviço será mais direto, atenderá aos usuários de Três Arroios e encurtará a distância da linha que percorre Balboa e Villafranco,

Ao mesmo tempo permitirá incorporar uma segunda linha desde Cerro Gordo (já está a 18, que chega ao Infanta Cristina e ao Farol). Esta sairá de Balboa, se introduzirá em Cerro Gordo e conetará este bairro com o Materno Infantil e {Sinforiano} {Madroñero}, em Valdepasillas.

Em segundo lugar, estes microautocarros cobrirão as denominadas linhas {express} ou lançadeiras. Uma ligará de forma direta o bairro de Llera com o centro de saúde de Valdepasillas, ao que pertencem seus vizinhos/moradores. Também unirá este bairro ao centro da cidade e emprestará serviço a Condes de Barcelona, que carecia de autocarro. Em segundo lugar, outra linha {exprés} unirá a estação de comboio com o centro, passando por {Augusto} {Vázquez}. Uma terceira melhoria se introduzirá na linha 6, que chega às Talvegues, e se alargará à parte alta, que agora se está urbanizando.

Também, se criará outra linha lançadeira para atender a a {Pilara} e dar serviço ao instituto/liceu Reinado {Aftasí} e ao colégio Virgem de Guadalupe, até à praça/vaga da Liberdade, no centro. Os microautocarros novos vão a permitir também que quando assim se requeira, substituam aos normais em serviços pontuais nos que se prevêem menos usuários. Estes veículos consomem o 30% que um autocarro normal/simples.

O presidente da Câmara Municipal manifestou que o investimento se acometerá sem que suponha despesa algum para os cidadãos, nem com as tarifas das viagens nem através do orçamento municipal. A Câmara Municipal dá mais de 4 milhões a {Tubasa} anualmente para cobrir o défice do serviço. Chegado o momento de renovar parte da frota, a concessionária financiará a diferença entre um autocarro normal/simples e um elétrico (3 milhões de euros). Além disso terá que mudar a infraestrutura elétrica para a recarga/recarrega (170.000 euros), que assume também {Tubasa}, bem como os custos da investimento (400.000 euros de interesses). Outra via de financiamento é a amortização dos veículos ordinários, que passa de 10 a 13 anos. Também se tem em conta a poupança no consumo energético (300.000 euros em 10 anos, cada autocarro). Em troca se alarga a concessão 10 anos para que {Tubasa} recupere seu investimento a partir do ano 2027.

Fragoso destacou que com estes 15 autocarros elétricos, Badajoz será a cidade europeia com maior percentagem em sua frota de transporte urbano e a primeira em Espanha no número deste tipo de veículos. Um exemplo: Madrid vai ter 14.

As notícias mais...