+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

São Roque apresenta a necessidade de um estacionamento subterrâneo

A associação urge a terminação do palácio de justiça e insiste em que se abram o albergue e o {COC}. O presidente do bairro destaca melhorias em limpeza e {bacheo} mas pede alcatroar por completo várias ruas

 

Um dos parques de São Roque. - ANDRÉS RODRÍGUEZ

Calle Teresa Istúriz, em São Roque. - ANDRÉS RODRÍGUEZ

F. LEON
23/02/2020

La popular bairro de Badajoz de São Roque é uma das zonas de expansão da cidade, especialmente pela Ronda Norte e a conexão de Ricardo Carapeto com a {BA}-020. para além de ser um importante pólo comercial e de serviços pelo oeste de Badajoz, o que faz com que tenha um intenso trânsito de veículos, «cada vez mais», segundo o presidente da associação de vizinhos/moradores, Ramón Olivenza, um facto/feito que se deixa notar, especialmente, na hora de procurar espaço para estacionar. Esta situação faz com que a associação de vizinhos se apresente retomar um velho projeto que se considerou faz mais duma década e que se rejeitou com a chegada do crise de 2008. Foram os primeiros passos para projetar a construção de um estacionamento subterrâneo, que «hoy se faz mais necessário que nunca», com o desenvolvimento da Ronda Norte e a terminação do novo palácio de justiça.

Recorda o presidente de vizinhos que «se chegaram a realizar degustações e tudo», face um possível estudo geológico, na zona onde estava a associação de vizinhos/moradores, «mas aquilo, com a chegada da crise, se rejeitou».

No entanto, hoy se considera que essa infraestrutura recebe um valor estratégico e se apresenta a necessidade de dotar ao bairro desse serviços, de retomar o projeto, mas adaptado à realidade atual, pois, manifestou Olivenza, «São Roque sempre {adolece} de estacionamento, sobretudo em horário comercial, e agora, quando comece a funcionar a Cidade da Justiça, temos de abordarlo», à parte do espaço de estacionamento que tenha o próprio edifício, que não será suficiente.

Uma das questões a estudar seria encontrar uma zona adequada, «tendo em subida que estamos escassos de espaços para este tipo de coisas mas teria que estar próximo à Cidade da Justiça e próximo à avenida» --Ricardo Carapeto--, disse. E acrescentou que «uma zona que poderia ser oportuna, com uma saída bastante boa, seria a da rua Teresa Istúriz e a praça/vaga Pablo Perejo, que é onde está o centro de saúde; aí iria bem um estacionamento, com pelo menos umas 200 praças/vagas de capacidade».

O presidente da associação de vizinhos afirmou, para além da necessidade de estacionamento, que «se estão a fazer boas coisas, a poda que se pediu e se tem {parcheado} a maioria das vias que o necessitavam, embora lhes dissemos que algumas ruas necessitam que se reponha o alcatroado completo». La associação comunicou à Câmara Municipal as ruas que temos de alcatroar, como Teresa Istúriz, Isidro Pacense, Porvir e outras.

Também destacou Olivenza que «se tem notado uma melhoria da limpeza com os {baldeos}», no entanto, afirmou que «não sei se é porque lhes falta pessoal, mas aos parques lhes falta manutenção».

Além disso, assinalou que «há outras coisas que ainda estão pendentes de resolver, terminar o palácio de justiça, ou que ainda não se tenha aberto o Centro de Lazer Contemporâneo ({COC}) e o Albergue do {Revellín}, «que não sei quando sairão a concurso, mas são importantes pelas atividades culturais no bairro».