+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Retomam o projeto de um hotel na praça/vaga Alta após mudar o promotor

Se localizará no único edifício que fica por reabilitar neste ambiente. Contará com 16 quartos {dobles} distribuídas em três plantas

 

O último edifício que fica por reabilitar na praça/vaga Alta, numa imagem de arquivo. - ARQUIVO

A. M. ROMASANTA lcb@elperiodico.com BADAJOZ
11/03/2020

Seis anos depois de/após que a ideia {echase} a andar, se reinicia o projeto de construir um hotel no último edifício que fica por reabilitar com fachada à praça/vaga Alta de Badajoz, em frente de as Câmara Municipal, entre as esquinas com as ruas Norte e {Moreno} {Zancudo}, cujo promotor mudou neste tempo. A ideia é que se converta num hotel ou um aparthotel, que seria compatível com o uso urbanização das parcelas nas que se assinta. Teria 16 quartos {dobles}, segundo explicou ontem a este diário/jornal o vereador de Urbanismo, Carlos Urueña.

O novo promotor é Juan Manuel Rodríguez López-Lago. O estudo de detalhe e projeto de atuação singular, redigido pelo arquiteto Julián Prieto Fernández, se tem aprovado inicialmente e encontra-se em exposição pública durante um mês, para sua posterior aprovação definitiva pelo plenário/pleno do Câmara Municipal De Badajoz.

Esta iniciativa a deu a conhecer em setembro de 2014 o nessa altura vereador de Urbanismo, Celestino Rodolfo, quando se apresentou na Câmara Municipal um projeto básico, a nome de Baldio do Prado Promoções SL. Naquele momento se apresentou a possibilidade de incrementar a quatro o número de plantas numa parte do edifício, e aumentar a edificabilidade em 125 metros. Mas esta opção se descartou na tramitação e finalmente se contemplam três plantas (distribuídas em diferentes níveis), que somam uma superfície total de 1.234,70 metros quadrados.

As parcelas (com uma superfície de 426,70 metros quadrados) sobre/em relação a as que se assinta o projeto têm diferentes graus de proteção, sendo integral na principal com fachada à praça/vaga Alta. O que já se tem aprovado é a volumetria, que cumpre com o Plano Especial do Centro Histórico. O destino final ainda poderia mudar, embora inicialmente se apresentou como hotel.