Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 18 de janeiro de 2018

O refeitório social de Martín Cansado incorporará um {economato} por pontos

Começam as obras de alargamento numa parcela anexa às atuais instalações. As 180 famílias que recebem carroças de comida/almoço poderão levar-se diariamente produtos que necessitem

A. M. ROMASANTA
10/01/2018

 

La alargamento das instalações do refeitório social da rua Martín Cansado vai a permitir a posta em marcha de um {economato} social que funcionará por pontos, do qual se beneficiarão as famílias que agora recebem alimentos que levam-se a seus domicílios. Com o {economato} poderão levar-se diariamente os produtos que necessitam, em lugar de receber/acolher periodicamente um lote com os que há disponíveis. O projeto é iminente, pois já têm começado as obras na parcela anexa ao prédio do sala de jantar, que adquiriram as Filhas da Caridade de São Vicente de Paúl com a intenção de melhorar as prestações a pessoas que atendem diariamente. La responsável, {sor} Ana Martínez, não põe data aos novos serviços que vão a incorporar, como também não lhes põe limite. «Sobre/em relação a a marcha», é sua resposta.

As obras na parcela anexa começaram a primeiros de Dezembro e já se vê a cimentação do novo prédio, que contará com três plantas. O uso das dependências da terceira planta está por definir. O projeto do novo prédio prevê a instalação de elevador. La primeira planta permitirá o alargamento do espaço do sala de jantar, com um novo {office}, de forma que o de agora se incorporará à cozinha. La metade do sala de jantar atual se unirá à planta nova. La reforma permitirá adequar um espaço para a espera dos usuários, de maneira que não tenham que aguardar na rua, à intempérie.

Este sala de jantar atende uma média/meia diária de 45 a 50 usuários, que vão a tomar o pequeno-almoço, ao meio-dia e para a jantar. La cifra se incrementa a 70 beneficiários aos domingos e feriados, porque estes dias não funciona o da rua São Pedro de Alcántara. «O sala de jantar se nos fica pequeno», reconhece a responsável. Mas isso nunca tem suposto que ninguém se tenha tido que ficar fora, pois quando acontece, habilitam uma sala de espera com mesas.

Na segunda planta se porá em marcha o {economato} social. Inicialmente, abriria todas as manhãs e se tentará que também possa funcionar pelas tardes. Os produtos não se dispensarão em troca de dinheiro (como se faz no {economato} social de O {Nevero}, a um preço abaixo do de mercado), mas seu valor se medirá com pontos. Desta iniciativa ainda ficam por concretizar detalhes, que se decidirão «segundo vamos vendo as dificuldades e os medidas certas». Na atualidade, o refeitório social de Martín Cansado atende a 180 famílias, embora esta cifra flutua. Diariamente vão uma dezena de famílias às que entregam os produtos que lhes chegam do Banco Alimentar, do {Fega}, ou de doações particulares e de supermercados. Se lhes preparam os carroças e os recetores se os levam em seus carrinhos de compras da compra e sacos. Mas sua ideia é que funcione como uma loja, com um horário comercial, com estantes nas que se exponham os produtos disponíveis e que cada um se leve o que necessite, livremente, em troca de pontos. Não somente produtos não perecíveis, pois não descartam poder/conseguir oferecer-los alimentos frescos, que conservarão em câmaras frigoríficas. Tudo o equipamento já está previsto e orçamentado.

La responsável desconhece quando poderão dar início estes novos serviços, pois dependem do ritmo das obras, dos autorizações e da concretização do projeto. «Para ontem melhor que para amanhã», assinala {sor} Ana Martínez, para quem estas iniciativas que agora pretendem levar adiante têm como objetivo a {dignificación} das pessoas que atendem e daí seu empenho em terminar com as caudas e em que os beneficiários possam escolher com liberdade, em lugar de {mendigar}.

As notícias mais...