Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 17 de fevereiro de 2020

Polémica entre {Vox} e a comunidade islâmica pelos enterramentos

O imã insta ao vereador a rever a Constituição e confia no resto da equipa de governo. {Vélez} rejeita que tenham um espaço próprio no cemitério municipal

AGENCIAS
12/07/2019

 

As declarações do vereador de {Vox} na Câmara Municipal de Badajoz, Alejandro Vélez, rejeitando que a comunidade islâmica conte com uma parcela no cemitério de Nossa Senhora da Soledad para realizar os enterramentos segundo sua religião têm tido rápida resposta por parte do imã da mesquita de Badajoz, {Adel} {Najjar}, quem tem lamentado suas palavras e o convidou a que «se abra ao pluralismo constitucional e respeite os acordos assinados entre o Estado espanhol e as minorias religiosas».

A perguntas dos jornalistas, Vélez assinalou ontem que não perderia «nem tempo nem recursos» em fazer efetiva a procura da comunidade islâmica, pois, na sua opinião, são seus membros os que «devem assumir» o regulamento espanhola sobre/em relação a enterramentos. O vereador comparou a situação com as normas de circulação/trânsito: «devem aceitar que se {circulamos} pela direita pois temos de circular pela direita, não se pode circular pela esquerda», para terminar dizendo que «demasiado bem trata-se à população imigrante» em Espanha. Acrescentou que os cemitérios são «{aconfesionales} e que, se se cede à comunidade islâmica um espaço, «provavelmente pois qualquer outra confissão começaria também a reivindicar sua parcela», informa Europa Press.

Por seu lado, {Adel} {Najjar} instou a que todos os membros da equipa de governo municipal trabalhem para fomentar a igualdade entre os cidadãos badajocenses, pois na Extremadura «só/sozinho há um povo/vila, o extremenho, com sua diversidade ideológica, e um só regulamento, a Constituição Espanhola, que é {aconfesional}», recolhe/expressa Efe. A juízo do imã, a forma de entender a liberdade religiosa de Vélez mostra «seu desconhecimento sobre/em relação a esta matéria».

A comunidade islâmica salientou que nos últimos anos se têm «derrubado muitas barreiras sociais» em Badajoz, pelo que têm «total confiança» em que o resto dos membros do governo de Badajoz «estará ao lado de todos os cidadãos sem distinguir entre eles por raça, religião ou cultura». «A cultura islâmica faz parte da cultura espanhola e os muçulmanos são cidadãos espanhóis», defendeu.

O imã tem solicitado uma entrevista com o presidente da Câmara Municipal, Francisco Javier Fragoso, para abordar a cessão deste espaço no cemitério municipal. Fontes a Câmara Municipal assinalaram ontem a Europa Press que, uma vez se produza este encontro, se realizarão declarações em relação.

As notícias mais...