Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

{Orfeón} Cacereño

EMILIO González Barroso
14/09/2017

 

No ato celebrado no Teatro Romano de Mérida o passado sábado lhe foi entregue a Medalha da Extremadura ao {Orfeón} Cacereño. A Federação de {Corales} Extremenhas ({Fecoex}), integrada por quase uma centena de coros, a recebeu na terceira edição, em 1989. O {Orfeón} Cacereño se fundou em 1964 pelo nessa altura diretor da Grupo/ponta Municipal de Cáceres Francisco Cebrián. Dois anos depois assumiu sua direção Trinidad León, quem permaneceu à frente durante 22 anos, acontecendole Francisco Rodilla, sendo substituído no ano seguinte pela pianista ucraniana {Kariné} {Gueyvandova} que esteve 10 anos. Desde há mais duma década leva a direção a professora María Ventosa Castillo. A atividade {coral} do {Orfeón} Cacereño foi muito prolífica ao longo/comprido deste meio século com inumeráveis atuações em multiplas localidades extremenhas e espanholas bem como em vários países. Parecia lógico que fora o {Orfeón} Cacereño o que interpretasse no ato o Hino da Extremadura . Pois não. O grupo {Mehstura}, integrado por nove mulheres, quatro delas {instrumentistas}, ofereceram uma {peculiar} adaptação {aflamencada} com muita {enjundia} mas afastando-se de sua genuína origem melódico e literário. O Hino da Extremadura, com música de Miguel del Barco Gallego e letra de José Rodríguez Pinilla, foi aprovado pelo plenário/pleno da Asamblea de Extremadura o 21 de Maio de 1.85 e estreado esse mesmo dia no Teatro Romano por doze {corales} extremenhas de Villanueva de la Serena, Don Benito, Jaraiz de la Vera, Montijo, Segura de León, Jerez de los Caballeros, Mérida, Plasencia, Moraleja, Almendral, Conservatório de Badajoz e {Orfeón} Cacereño, sendo estas dois últimos agrupamentos as que realizaram a gravação discográfica com a Grupo/ponta de Infantaria de Marina, baixo/sob/debaixo de a direção de Mercedes Padilla. A meu juízo um hino oficial não pode ser alterado nem um ápice em sua música nem em sua letra. ¿Quando voltarão a cantá-lo em sua versão originalíssima coros extremenhos? ¿E quando o entoarão de novo nossos escolares? A Jovem Orquestra Cidade de Mérida, dirigida por Pilar Vizcaíno, interpretou {instrumentalmente} ao início os hinos de Espanha e da Extremadura. Finalizou o ato com o {Ballet} {Folkórico} da Extremadura.

As notícias mais...